SOFTWARE DE NUTRIÇÃO

Acesso exclusivo para nutricionistas

Quero Testar

 

Consultório de nutrição: como fidelizar clientes

Um dos grandes desafios ao abrir um empreendimento é atrair clientes para conseguir alcançar maior sucesso, certo? Mas, além disso, é preciso fidelizá-los para sustentar o negócio. E com um consultório de nutrição a situação não é diferente.

O mercado está cada vez mais competitivo em todas as áreas, que estão cheias de profissionais qualificados para exercer suas funções. Então, é fundamental que o profissional saiba agregar fatores diferenciais para lidar com a concorrência.

Para entender melhor o tema, vamos lhe dar algumas dicas sobre como fazer isso no ramo da nutrição! Acompanhe neste post!

Priorizando o bom atendimento

Esse é um fator primordial para quem trabalha diretamente com seus clientes no dia a dia. Você pode até ser um nutricionista bem conceituado, cheio de diplomas e anos de experiência, mas, se não prezar por manter um bom atendimento, é capaz de se tornar um fracasso.

As pessoas querem se sentir bem recebidas — e isso começa desde o momento em que elas entram em que elas entram em contato para agendar uma consulta, quando estão na sala de espera e, claro, durante a consulta. Ou seja, tudo deve ser pensado de forma a agradar e acolher bem o seu paciente.

Durante a consulta, o profissional deve estar 100% disponível e demonstrar atenção com as necessidades de cada um que está ali procurando pelos seus serviços e, na maioria das vezes, pagando por isso.

São pequenas situações que podem ser evitadas. Entre as reclamações mais frequentes, por exemplo, estão as de profissionais que mal olham na cara de seus pacientes ou ficam o tempo todo respondendo mensagens pelo computador ou celular.

Outra dica relevante é ter cuidado para que um fator externo não “sabote” todo o seu empenho em atender bem. Você já reparou como a sua secretária trata seus clientes? Este também pode ser considerado como um ponto desagradável do atendimento.

Investindo em um ambiente agradável

É claro que a competência do profissional é um fator determinante para o seu sucesso. Contudo, é importante que o seu consultório consiga refletir sua personalidade e a imagem que deseja passar para o seu público.

Não que seja preciso criar um ambiente cinematográfico, cheio de objetos de arte e de decoração caríssimos. Sobretudo no início da carreira, sabemos que os investimentos devem ser bem calculados e não há necessidade de exageros.

Mas detalhes como organização, limpeza, conforto e iluminação fazem a diferença. Se possível, alguns agrados também costumam contar pontos a favor, como disponibilizar uma água fresca, um café ou até mesmo o Wi-Fi enquanto os pacientes esperam.

Não se esquecendo do pós-atendimento

Esquecer-se do pós-atendimento é um erro cometido por muitos profissionais e empresas dos mais variados tipos. Também chamado de pós-venda, o momento depois da consulta não deve ser deixado de lado.

O jogo não está ganho simplesmente quando você atrai um novo cliente, é preciso mantê-lo. Logo, criar um bom relacionamento é essencial para a sua fidelização e para que ele se sinta confortável e disposto a continuar o tratamento.

Para isso, é importante ser atencioso, demonstrar interesse no seu progresso, cobrar um pouco de dedicação, fornecer dicas etc.

Estimulando sempre o paciente

Mudar hábitos nem sempre é uma tarefa simples, não é mesmo? E a maioria das pessoas busca o acompanhamento de um nutricionista para isso — seja para fazer melhores escolhas alimentares, comer mais ou passar a comer menos em definitivo!

De qualquer maneira, é um processo que necessita de estímulos constantes até que a reeducação alimentar seja estabelecida. Então, você pode utilizar estratégias como mandar dicas diárias ou semanais, receitas saudáveis, comemorar cada conquista etc.

Nesses momentos, a tecnologia pode ser uma boa aliada para facilitar essa aproximação e o contato frequente com os pacientes. Inclusive, muitos profissionais fazem bom uso de redes sociais, como o Facebook e o Instagram, e assim acabam atraindo diversos clientes.

Sendo compreensivo

O que faz um bom profissional da nutrição? Além de todas as outras características importantes, a compreensão é uma das que mais contribuem para fidelizar clientes. Afinal de contas, o paciente vai ao consultório buscar ajuda para atingir seus objetivos.

E, como sabemos, esse caminho pode não ser tão fácil. Logo, ser compreensivo é uma qualidade especial para não desestimular ou afastar as pessoas. Alguns nutricionistas acreditam que devem ser super-rigorosos e exigentes para que seus pacientes sigam a dieta.

De fato, a cobrança faz parte do tratamento, mas também é preciso saber entender algumas falhas. Principalmente para quem está tentando emagrecer, a situação normalmente está muito envolvida com as emoções da pessoa e requer cuidado.

Buscando conhecimento

Um profissional parado no tempo não desenvolve seu pensamento crítico, não conhece novas oportunidades e começa a ficar desatualizado. Mesmo que o conhecimento adquirido na faculdade seja de extrema importância, ele não será o suficiente para o resto da vida.

Por isso, é essencial investir em cursos, palestras, workshops, congressos, entre outras estratégias que ajudem a atualizar o seu conteúdo. A área da nutrição conta com diversas oportunidades e eventos para renovar o conhecimento.

E, certamente, essa atitude acaba servindo de exemplo e estímulo para os pacientes. É interessante que eles percebam como o seu nutricionista está buscando atualizações e novas referências, criando um vínculo de maior confiança com o seu trabalho.

Utilizando a tecnologia a seu favor

Realmente, pode se tornar bastante trabalhoso lidar com tudo isso. Além de toda a agenda a cumprir e planos alimentares para fazer, ainda existem os compromissos pessoais do dia a dia, que deixam a rotina mais corrida.

Portanto, nada melhor do que aproveitar os benefícios das ferramentas disponíveis na área de nutrição para facilitar a gestão do seu negócio. Há diversos softwares que apresentam soluções como organizar o atendimento e até mesmo interagir com o paciente — apenas tenha alguns cuidados na hora de escolher um!

E então, conseguiu perceber a importância dessas dicas para fidelizar clientes em um consultório de nutrição? Se você tem interesse pelo assunto, não deixe de ler ainda sobre 4 maneiras de aumentar a produtividade do seu negócio!

 

Como incorporar aplicativos de nutrição no atendimento dos consultórios

Você é um nutricionista formado que pretende abrir sua própria clínica, mas não tem ideia de como fazê-lo? Quer atrair pacientes e mantê-los interessados, e ainda melhorar a produtividade do seu consultório? Realmente, em um mercado tão competitivo, é difícil se destacar diante de tanta oferta.

Mas sabemos que a tecnologia está presente no nosso dia a dia, e está na hora de utilizá-la para a sua ascensão profissional. Afinal, já ouviu a frase “se não pode vencê-los junte-se a eles”? Pois é: hoje, há diversos aplicativos de nutrição no atendimento dos consultórios que podem te ajudar!

De fato, os softwares voltados para os nutricionistas — assim como os aplicativos para celulares que seus pacientes podem utilizar — são capazes de otimizar suas consultas, filiar pacientes e facilitar seus atendimentos.

Por isso, no post de hoje veremos 8 dicas para incorporar aplicativos de nutrição no atendimento dos consultórios. Então, continue lendo e confira com eliminar a concorrência, otimizar suas consultas e conquistar mais pacientes!

1. Utilize as redes sociais

Não há dúvida de que a divulgação de diversas profissões por meio do Facebook e Instagram está em alta. Então, por que não utilizar esses meios para a promoção dos nutricionistas também?

As redes sociais são ótimas para dar dicas rápidas a leitores interessados e atraí-los para uma consulta. Você poderá agregar muitos pacientes por meio desses aplicativos, além de oferecer informações importantes para os seus pacientes.

Nesse sentido, uma boa ideia é escrever posts com dicas de dietas e receitas, sempre se atentando aos assuntos pelos quais o seu público-alvo possa ter interesse. Procure também escrever textos que sanem dúvidas dos seus potenciais fregueses, e que os incentivem a entrar em contato com sua clínica.

2. Organize seu consultório

A tecnologia pode te ajudar também na organização das suas fichas de pacientes, principalmente se você estiver pensando em abrir uma clínica e ainda não tem secretária. Nesse caso, você pode utilizar um programa próprio para nutricionistas e diminuir a papelada! Além disso:

  • armazene as fichas dos seus pacientes por meio do software, eliminando o perigo de perder informações importantes, e tenha acesso aos dados de forma prática, sem precisar procurar em uma montanha de papéis;

  • registre com facilidade a anamnese do seu paciente, com os exames laboratoriais, histórico de doenças, sinais e sintomas e até os remédios ingeridos;

  • faça sua prescrição dietética detalhada e tenha à mão modelos de cardápios.

3. Faça cálculos e a avaliação antropométrica automaticamente

Com a ajuda de um aplicativo, você não vai precisar mais fazer cálculos durante as suas consultas! Assim, poderá utilizar o seu tempo para conhecer melhor o seu paciente, tirar suas dúvidas e planejar uma dieta mais personalizada.

Em alguns softwares, basta colocar as medidas do paciente: o percentual de gordura, massa muscular e gasto energético já serão calculados automaticamente. Isso garante a otimização do seu atendimento e uma maior satisfação dos seus pacientes.

4. Traga o diário alimentar ao alcance dos dedos

Apesar de ouvir do nutricionista o quanto é importante se ater à dieta, muitas pessoas não conseguem entender o quanto custam aquelas pequenas “escorregadas”. Ao utilizar esse instrumento seu paciente conseguirá ver com mais clareza o quanto é importante se ater ao plano alimentar proposto

Com o auxílio de aplicativos, seu paciente consegue selecionar os alimentos que consumiu, assim como a quantidade de cada um deles. Na mesma hora, o celular mostrará a quantidade calórica ingerida.

Grosso modo, essa é uma maneira de atraí-lo no planejamento dietético, demonstrando a relevância da sua participação e do seu comprometimento para atingir os resultados esperados.

5. Calcule o gasto energético em um toque

Quando seu paciente fizer exercícios, ele poderá acessar um aplicativo no celular e selecionar o tipo de atividade e sua duração — em seguida, o gasto energético será calculado na hora.

Assim, além de verificar a quantidade calórica gasta, seu paciente poderá acompanhar os tipos de atividades físicas que prefere, podendo escolher entre aquelas que gastam mais calorias, por exemplo. E aprenderá a otimizar seu gasto energético, adequando-o aos seus hábitos diários.

Alguns aplicativos ainda oferecem dicas de exercícios e montam circuitos de atividades; quase como um personal trainer ativado por um simples toque.

6. Crie histórico individual de cada paciente

Sabemos que o público que procura nutricionistas é muito variado; existem pessoas que querem perder peso, que desejam ganhar massa magra, e alguns ainda necessitam de dietas restritas. Pensando nisso, foram desenvolvidos aplicativos de nutrição no atendimento dos consultórios que oferecem acesso a um histórico individual.

Nesse espaço, ficam disponíveis as informações pessoais do paciente, dietas anteriores e o mais importante: a evolução do caso. E poder mostrar ao seu paciente todo o desenvolvimento do caso, com cada objetivo alcançado ao longo da trajetória, sem dúvidas será muito útil.

Afinal, quando uma pessoa emagrece ou ganha massa magra, é difícil ter a noção do quanto isso modificou a sua qualidade de vida. Geralmente, não lhe é tão clara a lembrança de como era antes do acompanhamento nutricional. Por isso, relembrá-la de tempos em tempos pode encorajá-la a continuar sendo seu paciente.

7. Acompanhe o peso de seus pacientes

Alguns aplicativos têm um espaço destinado às pesagens diárias ou semanais. Com eles, seu paciente pode se pesar em casa e acompanhar a própria evolução. E isso é particularmente bom porque, ao se deparar com resultados positivos, o paciente tende a ficar mais motivado e a permanecer focado em seu objetivo.

O que não significa, contudo, que ele não precisará mais ir às consultas, mas sim que os seus atendimentos serão mais bem aproveitados. Assim, você terá mais tempo para identificar as dificuldades dos seus pacientes e encontrar uma forma de ajudá-los a superar esses obstáculos.

8. Atenda pacientes de todos os perfis com facilidade

Um bom software, por fim, deve ter uma ampla base de informações para ser capaz de facilitar o acompanhamento e a montagem de planos alimentares para diversos perfis de pacientes mulheres e homens, crianças e idosos, grávidas e lactantes etc. E sempre respeitando as preferências e necessidades nutricionais de cada um.

Alguns softwares, inclusive, facilitam a substituição de alimentos no plano dietético, facilitando a vida das pessoas que possuem muitos compromissos e pouco tempo para preparação das refeições, por exemplo.

Enfim, como vimos, a tecnologia veio para ser uma aliada; seu objetivo é facilitar as coisas. Então, não se deixe intimidar, e utilize tudo o que ela tem a oferecer para tornar a sua vida mais produtiva. Desfrute das oportunidades por ela apresentadas e conquiste seus pacientes!

E aí, gostou das nossas dicas para utilizar aplicativos de nutrição no atendimento dos consultórios? Ficou interessado pelas facilidades dos programas voltados para nutricionistas? Então, aproveite agora para fazer um teste gratuito do nosso software!

Entenda o que é nutrição comportamental e como funciona

A relação que as pessoas têm com a comida vem se tornando cada vez mais complexa, você já percebeu? A clássica sensação de culpa após comer e a dificuldade para manter ou reduzir o peso são apenas algumas das consequências dessa conturbada relação.

Mas você já pensou que pode existir um meio para melhorar a relação dos seus pacientes com a comida sem causar tantos impactos negativos? É o caso da nutrição comportamental, que leva em consideração não apenas a comida, mas todo o comportamento relacionado a ela.

Pensando nos benefícios proporcionados pelo método, criamos esse post para ajudar você a melhorar a relação de muitas pessoas com a alimentação. Entenda melhor a seguir:

O que é a nutrição comportamental?

Apesar da grande quantidade de informações sobre alimentos e dietas, as pessoas continuam enxergando a comida como grande inimiga. A nutrição comportamental tem como objetivo mudar essa relação, fazendo com que as pessoas sintam prazer (e não culpa) em comer.

Esse método considera os aspectos emocionais, fisiológicos e sociais da alimentação. A mudança do comportamento alimentar proposta pelo método envolve estratégias de aconselhamento nutricional, técnicas do comer intuitivo, terapia cognitivo-comportamental, entrevista motivacional e táticas para comer com atenção plena.

Como ocorre a perda de peso?

Como o foco principal da nutrição comportamental é resgatar o prazer em comer, tornando a relação com o alimento mais saudável, a perda de peso não é tão imediata como acontece com algumas dietas. No entanto, isso está longe de significar que ela seja inexistente.

Os números diminuindo na balança passam a ser uma consequência do autoconhecimento. A pessoa passa a aprender a identificar suas emoções e a não buscar consolo nos alimentos, como acontece quando o estresse e a ansiedade tomam conta da rotina. Essa atitude está diretamente ligada com a perda de peso — ou seja, ela é consequência de uma série de comportamentos.

Isso pode parecer um ponto negativo, mas a permanência desses aprendizados pode ser a peça chave para conquistar os seus pacientes. Basta mostrar que não é preciso cortar nada da alimentação, apenas fazer escolhas certas nos momentos certos, respeitando as necessidades e as reações do corpo.  

Como adotar o método?

Por não se basear em dietas, a melhor forma de utilizar essa estratégia para ajudar os pacientes é através da orientação nutricional e da comunicação. O propósito aqui é entender a relação que o paciente tem com o alimento para, a partir disso, estabelecer uma orientação que vá funcionar para ele.

Perguntar ao paciente suas principais dificuldades, as experiências e o quão preparado ele está para mudar sua relação com a comida são boas formas de começar a entender como o paciente lida com o alimento, as emoções e as diversas situações do dia a dia.

A partir das respostas obtidas, dá-se início ao trabalho por meio de dois pilares da nutrição comportamental: a prática clínica e a comunicação.

A prática clínica

Nessa prática, acontece uma abordagem defendendo a real importância de entender como se come e não o que se come. Ou seja, mostrar que o foco é entender as relações envolvidas no ato de se alimentar ao invés de apenas contar calorias. Onde se come, quando, com quem, qual o sentimento, quais as dificuldades: é esse tipo de autoconhecimento que deve ser estimulado e compreendido.

Além disso, esse é o momento para fazer a orientação nutricional, baseada em estratégias que possibilitem a mudança do comportamento e também a melhora na relação com a comida.

A comunicação

Esse será o momento de informar, estimular a aceitação da alimentação saudável e também de influenciar o seu paciente. Isso pode ser feito através de mensagens positivas e ponderadas, as quais devem ser baseadas em estratégias comportamentais para terem efeito.  

Quem pode se beneficiar com a nutrição comportamental?

Não há restrições na nutrição comportamental. Afinal, estabelecer um vínculo saudável com a comida é uma excelente forma de começar a melhorar a alimentação em qualquer faixa etária.

Tal melhora é sucedida por escolhas inteligentes feitas não por obrigação ou devido a dietas restritivas, e sim ao conhecer o próprio corpo e suas necessidades.

Pessoas que não conseguem colocar dietas em prática ou que não conseguem se organizar para estabelecer uma alimentação saudável costumam ter bons resultados com esse método, pois passam a compreender a sua relação com a comida, o que facilita a mudança. Na maioria das vezes, é apenas isso que falta para essas pessoas se tornarem mais saudáveis.

Como o método pode melhorar a relação das pessoas com a alimentação?

Cada vez mais surgem dietas ou “tendências” que colocam um ou outro alimento na posição de saudável ou não saudável. O comportamento desencadeado por essa forma de se alimentar passa a transformar a comida em vilã, já que as pessoas passam a enxergar a comida como um conjunto de calorias, conturbando a relação com o alimento.

Dessa forma, o prazer de comer desaparece e dá lugar a uma geração de pessoas que esquecem que o problema não é o alimento, mas a relação que se estabelece com ele. E é justamente esse o ponto que a nutrição comportamental destaca.

Através de técnicas que ajudam a pessoa a entender os sinais do corpo, a reconhecer a fome, a ansiedade e inúmeros outros aspectos emocionais, sociais e fisiológicos o método faz as pessoas entenderem a real função do alimento no organismo. É dessa forma que o vínculo saudável com a comida se restabelece e o prazer em comer volta a fazer parte da rotina.

Em tempos onde os alimentos são divididos em saudáveis e não saudáveis e a comida é vista como inimiga, conhecer um método como a nutrição comportamental — que restabelece uma relação benéfica e prazerosa com o alimento — é um diferencial. Afinal, a satisfação não pode ser desconsiderada de um processo tão essencial e frequente como a alimentação.

O que você achou da nutrição comportamental? Acha que vai ser útil para seus pacientes? Compartilhe o post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a conhecerem esse método inovador que melhora a relação das pessoas com os alimentos!

Como elaborar uma dieta completa para seus pacientes

Uma dieta completa e saudável deve ser composta por todos os grupos alimentares: proteínas, carboidratos, vegetais tipo A (verduras) e vegetais tipo B (legumes). Quanto mais equilibrada e variada, melhor para o paciente adquirir o hábito de consumir alimentos ricos em vitaminas e nutrientes essenciais para a saúde.

Mas você sabe como elaborar uma dieta completa para seus pacientes? Neste post daremos algumas dicas que vão ajudar no seu trabalho como nutricionista e empreendedora.  

Ficou interessada no assunto? Acompanhe então nosso artigo!

1. Escute seu paciente

O primeiro passo para elaborar uma dieta completa é você ouvir o paciente. Levante dados, como quantas vezes ele come por dia, horários, os alimentos de que gosta e os que não lhe caem bem no cardápio. Se é alérgico ou se tem intolerância alimentar e o que tem costume de comer.

Junte essas informações com a situação socioeconômica e faça o ajuste alimentar, não se esquecendo de respeitar sua cultura.

A melhor maneira de preparar uma dieta completa é você ouvir o que seu paciente tem a dizer. Portanto, escute sempre!

2. Calcule a quantidade de alimentos

É importante considerar o número de refeições diárias que devem ser de 4 a 6. Sendo que durante o dia há três principais que o paciente não deve pular: café da manhã, almoço e jantar.

Além dessas, também deve-se pensar nos intervalos que são os lanches: lanche da manhã, da tarde e da noite.

Faça uma estimativa do valor energético total (VET) considerando a atividade do seu paciente. As refeições principais devem conter até 40% do VET e as intermediárias 15%.

3. Insira todos os grupos alimentares na dieta

O paciente deve comer um pouco de tudo, mas de maneira moderada. A dieta deve ter proteínas, vitaminas importantes que são encontradas nas frutas, verduras e legumes e o carboidrato para ter energia.

Afinal de contas, você não quer que seu cliente sinta fraqueza ao realizar suas tarefas diárias. Por isso, calcule tudo de maneira adequada, seguindo os princípios do guia alimentar brasileiro e a pirâmide dos alimentos. Faça com que seu paciente tenha uma dieta saudável!

4. Utilize ferramentas para criar uma dieta completa

Uma boa dica é você utilizar ferramentas que ajudam a criar uma dieta balanceada e saudável. Uma delas é o Software para Nutricionistas. Ele melhora o trabalho do profissional, ajudando-o a calcular automaticamente medidas como percentual de gordura, gasto energético, massa muscular e outras informações importantes de acordo com os protocolos reconhecidos.

Além disso, o Software oferece um banco de dados com sugestões de cardápio e substituição dos alimentos, ajudando em todas as etapas do atendimento médico, já que, por meio de um aplicativo, auxilia na verificação do consumo de alimentos do paciente.

Dessa maneira, quem procura orientação nutricional tem o apoio no momento da consulta, na elaboração do plano alimentar e no pós-atendimento.

5. Elabore um cardápio semanal equilibrado

Um cardápio equilibrado é aquele que tem todos os grupos alimentares. No caso do almoço e do jantar, separamos algumas dicas:

Carboidratos

Você pode sugerir arroz ou macarrão integral, polenta ou mandioquinha cozida. Só não dá para misturar os carboidratos.

Saladas (Vegetais Tipo A)

Indique a vontade saladas de alface, escarola, rúcula ou agrião. Só peça para que seu paciente tome cuidado com os temperos e molhos. Também é importante não abusar do sal.  

Legumes (Vegetais Tipo B)

Cenoura, rabanete, beterraba ou abóbora madura são excelentes opções de vegetais tipo B para você incluir na dieta. Basta indicar as medidas certas.

Proteína

A proteína deve estar presente no prato principal. Escreva uma porção de carne de boi, filé de peito de frango ou filé de peixe grelhados.

Ferro

Uma grande fonte de ferro é o feijão. Ele combate a anemia e por isso não deve ser deixado de fora da alimentação do seu paciente.

Frutas

As frutas podem ser servidas como sobremesa no lugar dos doces. No caso de maçã, o ideal é consumi-la com a casca, porque é rica em fibras, o que ajuda no funcionamento do intestino.

6. Combine bem os alimentos para uma dieta completa

Duas importantes refeições são o almoço e o jantar. Além do café da manhã e dos lanches durante o dia, as principais refeições devem agradar o paladar e a saúde.

Aqui nós temos algumas sugestões para que você possa combinar os alimentos e fazer com que seu paciente tenha uma dieta nutritiva e saborosa. Confira:

Almoço

Primeira opção

Arroz integral com brócolis, feijão, carne de boi grelhada e acebolada e salada de alface com tomate.

Segunda opção

Macarrão integral, filé de peito de frango grelhado, salada de rúcula e tomate-cereja.

Terceira opção

Arroz integral, feijão, couve refogada, palmito e omelete com cebolinha verde.

Quarta opção

Bacalhau assado com batata-inglesa, salada de alface-americana e sementes de chia.

Jantar

Primeira opção

Salada de folhas verdes, tomate, beterraba cozida, cenoura ralada, arroz integral e atum.

Segunda opção

Arroz 7 grãos, carne moída com vagem, salada de agrião com tomate e cenoura refogada.

Terceira opção

Purê de batata-doce, almôndegas assada, salada de rúcula com tomate-cereja e ervilha refogada.

Quarta opção

Purê de mandioquinha, brócolis no vapor, frango grelhado, cenoura e beterraba raladas e brócolis no vapor.

7. Deixe os alimentos gordurosos fora da dieta

A dieta saudável não pode ter alimentos gordurosos como frituras e embutidos (salame, mortadela, salsicha e linguiça). Evite creme de leite e preparações que levam manteiga e óleo.

Também é importante evitar carnes como fraldinha, acém, picanha, cupim e costela, pele de frango, queijos amarelos, todos considerados alimentos com alto índice de gordura.

Não faça sugestões de carboidratos com alto índice glicêmico, tais quais alimentos preparados com farinha refinada como bolos e tortas.

Viu como é fácil elaborar uma dieta completa para seus pacientes? O primeiro passo é ouvi-los, saber seus gostos e restrições. Procure elaborar cardápios coloridos que chamem a atenção do olhar e agradam o paladar. Com essas dicas simples, você será uma referência no seu trabalho como nutricionista e uma grande empreendedora.

Gostou das nossas dicas para montar uma dieta completa? Aproveite e dê uma olhada no nosso post sobre as 6 obras que você nutricionista precisa ler!

 

Aprenda tudo sobre marketing digital para nutricionistas

Atualmente, a vitrine que mostra o trabalho de qualquer profissional para o mundo é a internet, e com os nutricionistas não é diferente. Utilizá-la com inteligência é a chave para captar clientes, desenvolver um relacionamento com o público, solidificar a reputação e, desta forma, conquistar sua fatia no mercado. Concorda? Mas para alcançar bons resultados e aproveitar as oportunidades que o momento oferece, é essencial saber como usar o marketing digital para nutricionistas.

Sabe como utilizar esta ferramenta? Conhece as melhores formas de promover o seu trabalho através de sites, blogs e redes sociais? Quer abrir sua clínica e precisa acelerar a captação de clientes? Este post contém todas essas respostas! Nele, vamos apresentar conceitos e técnicas fundamentais para você aprender tudo o que precisa sobre marketing digital e como utilizá-lo para fazer seu nome e sua clínica crescerem e aparecerem cada vez mais. Preparada?    

Entenda a importância do marketing digital para nutricionistas

Este é o princípio para quem quer fazer da internet uma plataforma de divulgação: entender sua importância. Não basta criar uma página nas redes sociais e publicar banners para vender o trabalho. Essa postura afasta, na verdade, afasta o seu público!

Especialistas em marketing digital e de conteúdo descobriram que as pessoas que navegam pela rede já aprenderam a ignorar muitas das propagandas que aparecem na tela. Elas simplesmente deslizam os olhos, não prestam atenção e não clicam.

A internet oferece espaço para todos publicarem o que desejam. Mas para que as pessoas se interessem, é preciso atraí-las com a estratégia apropriada. E então você pergunta: e qual estratégia é essa? A resposta é simples: o conteúdo que é oferecido.

Atenda os interesses do público

Para fazer isso, é preciso identificar os motivos que levam as pessoas a procurarem os serviços de um nutricionista e descobrir quem são elas.

Embora a “resposta certa” seja clientes que buscam uma alimentação mais saudável, sabemos que, na realidade, existem outros interesses por trás dessa busca, na maioria das vezes. Provavelmente, o nutricionista atende uma grande quantidade de:

  • pessoas que desejam emagrecer, seja por razões estéticas ou por orientação médica;

  • atletas que querem energia para treinar e acelerar o ganho de massa muscular;

  • clientes que querem ganhar contornos corporais (sim, tem gente que quer “engordar”!);

  • pacientes com condições clínicas específicas e que necessitam adequar a dieta (diabéticos, hipertensos, pessoas com disfunção renal, etc.).

Como você acabou de ler, sabemos que há outras razões para procurar um nutricionista. Então, descobrindo quais são as necessidades do seu público, é preciso produzir um conteúdo que responda às questões ou insatisfações que ele tem em mente.

Uma ótima dica é focar em textos, vídeos e infográficos que você pode elaborar sobre temas interessantes destinados a este público. As pessoas que buscam por essas respostas, com certeza, chegarão ao seu site ou rede social, o que já é um grande passo para conquistá-las.

E, por falar em site, é importante definir o melhor canal para “fisgar” o seu público. Para quem quer credibilidade e captação de clientes, um blog é a melhor alternativa, por exemplo.

Aposte em um blog

Antes mesmo de pensar na divulgação em redes sociais, a principal forma de atrair e fidelizar seu público é tendo um blog. Na maioria das vezes, as pessoas não iniciam uma busca em mecanismos de pesquisa procurando nutricionistas específicos. Na maioria das vezes, elas trazem questões para as quais querem respostas.

Nesse caso, um blog traz as respostas para as indagações que a pessoa procura e transmite credibilidade. Mas, para isso, é necessário caprichar nos posts! A leitura deve ser agradável, com fontes confiáveis, ilustrações de qualidade, sempre que possível, tudo isso em um design atrativo. Explique também o que é mais complicado ou detalhado através de infográficos, use vídeos para divulgar receitas, e por aí vai.

O seu blog pode ser um espaço em que o público sente que encontrou a resposta das suas dúvidas e necessidades. Nele, as pessoas podem encontrar conhecimento um pouco mais teórico sobre um assunto, dicas, receitas, novidades e tendências em primeira mão, resenhas sobre produtos, etc.

Com uma dose de criatividade e boa vontade, o seu blog pode te ajudar a se tornar uma referência na área da nutrição!

Divulgue nas redes sociais

Com um conteúdo interessante já elaborado, você já pode divulgá-lo através das redes sociais. O ideal é que a presença digital não seja focada em um único canal, e as opções mais interessantes são aquelas em que seus clientes estão engajados. Por isso, uma pesquisa é muito útil.

Atualmente, grande parte das pessoas está no Facebook, Instagram e Twitter. O Snapchat também pode ser uma alternativa viável, dependendo da adesão da sua clientela. E aí é só divulgar: estabeleça dias específicos para postar e faça seu público aguardar ansiosamente pelo seu texto. Divulgue cada post novo do blog nessas redes.

Outra iniciativa interessante é criar hashtags e incluí-las ao compartilhar seus posts. Pode ser algo permanente, relacionado a dicas, receitas, etc. Também é possível criar campanhas em épocas específicas: antes do verão, ou no início do ano. Basta pensar em algo criativo e usar as redes para divulgar.

Estimule também os clientes mais conectados a postarem seus pratos com essas hashtags específicas e promova algum tipo de incentivo. Desta forma, seu nome ficará cada vez mais em evidência. Com o conteúdo e a linguagem corretas, suas postagens serão compartilhadas, ampliando o alcance do seu trabalho!

Promova engajamento

O sonho de quem divulga seu trabalho nas redes sociais é ver o engajamento do público com o conteúdo. Isso acontece quando as pessoas comentam os posts, compartilham e curtem as publicações. Mas como isso pode trazer vantagens?

Em primeiro lugar, gera publicidade. Desta forma, seu trabalho se torna conhecido também por pessoas que não fazem parte de seu círculo mais próximo: são amigos dos amigos dos amigos.

Os outros resultados deste engajamento são a solidificação de sua reputação. Com a publicidade correta, seu nome pode se tornar referência. Se os seus posts trouxerem informações novas e interessantes, eles podem começar a ser linkados por outros sites, e o retorno disso é espetacular.

E não para por aí! Esse engajamento e procura faz com que, nos algoritmos dos mecanismos de busca, seu site ou blog tenha um posicionamento melhor. E o que isso quer dizer, exatamente? Significa que, quando as pessoas fizerem busca por uma pergunta ou frase que está presente no seu blog, ele será listado entre as primeiras opções de resposta. Ou seja, as chances de as pessoas clicarem nele são muito maiores.

Como você pode perceber, isso cria um ciclo virtuoso. Você produz conteúdo, divulga, as pessoas gostam, curtem, comentam. O Google mostra seu site nas primeiras posições, mais pessoas visitam o blog, curtem, comentam… Dessa forma, seu blog se torna cada vez mais visível, assim como o seu trabalho!

Entendeu como o marketing digital para nutricionistas pode promover o seu trabalho e garantir a cartela de clientes que você sempre sonhou? Quer conhecer outras formas de alavancar sua carreira? Então não perca tempo! Siga-nos no Facebook e Instagram e fique por dentro de dicas e novidades imperdíveis que vão fazê-lo alcançar o sucesso muito mais rápido! Nos encontramos por lá!

4passos para se tornar uma nutricionista empreendedora

A carreira empreendedora tem atraído muitas pessoas em busca da independência financeira e da possibilidade de inovar. Na área da saúde, por exemplo, muitos têm abandonado as opções mais tradicionais e apostado em um caminho mais arrojado. Então, se você deseja se tornar uma nutricionista empreendedora, este texto é para você!

O empreendedorismo, ao contrário do que muitos pensam, não é uma habilidade inata ou um talento. É uma capacidade adquirida mediante muito esforço, determinação e foco. A nutrição tem precisado bastante de profissionais com esse perfil. Por isso, fizemos um texto com vários passos para que você se torne uma nutricionista empreendedora. Confira!

1. Inicie sua carreira o quanto antes para se tornar uma nutricionista empreendedora

Logo após formados, os nutricionistas têm certa dificuldade para encontrar sua área de atuação. Alguns querem um consultório tradicional, outros preferem o ambiente hospitalar, e ainda há aqueles que desejam trabalhar na indústria de suplementação alimentar.

Um bom empreendedor não perde tempo! Então, logo após terminar seu curso, será o momento de buscar experiências: você já pode começar tentando abrir seu primeiro negócio, trabalhar para outras empresas até ganhar a confiança necessária ou continuar sua trajetória de estudos com uma especialização ou pós-graduação. O que não pode é ficar parada.

2. Invista bastante na Tecnologia da Informação voltada para a nutrição

Quem tem mais afinidade pelo meio digital pode seguir essa trilha, que tem dado muito certo. Hoje em dia, há pessoas extremamente preocupadas com o próprio corpo e que tem todos os recursos tecnológicos à sua disposição. Então, precisamos aproveitar essa oportunidade.

Com isso, você pode inovar criando uma clínica hi-tech. Nela, seus clientes terão seus prontuários informatizados, contarão com assistentes virtuais, receberão mensagens de motivação e lembretes para a dieta e ainda terão aplicativos de gestão de dieta na palma da mão quando forem aplicar seu tratamento em casa.

3. Observe as principais tendências do mercado

Um empreendedor vê oportunidade antes que muitos percebam. Então, fique de olhos abertos para as tendências atuais e use-as em seu favor. Vamos dar algumas dicas:

Nutrição para longevidade saudável

Com o envelhecimento da população, as pessoas têm ficado cada vez mais preocupadas com o seu próprio bem-estar na terceira idade. Afinal, ninguém deseja envelhecer sem saúde. Por isso, elas têm tomado consciência da importância do papel da alimentação saudável para evitar as doenças.

Por outro lado, ainda há poucos profissionais que têm investido e se especializado nessa área. Portanto, essa é uma excelente área para você aplicar o pioneirismo.

Nutrição para dietas restritivas

A frequência de alergias e intolerâncias alimentares tem aumentado significativamente. Assim, muitas mães têm ficado perdidas em relação à dieta de seus filhos. Praticamente, não há nutricionistas que oferecem um serviço especializado para este público.

Portanto, se você investir em soluções para esses casos, sua clínica encherá de clientes. É crucial começar a pensar em dietas restritivas que sejam, ao mesmo tempo, funcionais, nutritivas e saborosas. Afinal, as opções atuais, geralmente, se esquecem da importância do sabor para o bem-estar das pessoas.

4. Verifique os aspectos legais para a constituição da sua clínica

Entre o desejo e a realização do sonho de um empreendimento próprio, há um enorme caminho burocrático a ser seguido. Infelizmente, esse é um passo inevitável para o qual você deve se preparar.

É comum que muitos desanimem durante o processo e percam o fôlego inicial. Porém, sabemos que não será o seu caso e, para garantir, estamos fazendo um pequeno guia do trajeto a ser perseguido.

Contratação de um contador

Para abrir seu empreendimento, o primeiro passo a se tomar é a contratação de um contador experiente em pessoas jurídicas. Ele terá a função de organizar toda a documentação e iniciar os atos jurídicos que darão validade legal à sua empresa de nutrição

Muitas pessoas, erroneamente, aconselham a dispensa desse profissional. Porém, esse é um grande equívoco. Um leigo não é capaz de escolher a forma jurídica mais adequada para um empreendedor da área de nutrição. Com isso, virão consequências muito negativas, como o pagamento de taxas adicionais e a opção por um modelo tributário mais oneroso.

Consulta comercial

Com essa ferramenta, ele verifica se a prefeitura do município possui normas especiais para o seu negócio. Também conferirá se o local escolhido para sediar a empresa tem alguma restrição em relação à sua atividade.

Busca de nome e marca

As pessoas jurídicas, ao contrário das físicas, não podem apresentar homonimia. Por essa razão, será preciso verificar a existência de algum outro empreendimento com o nome pretendido e os elementos da marca que você utilizará.

Registro do Contrato Social

Nos casos de sociedades comerciais, é necessário realizar o registro do contrato social no cartório e nos órgãos governamentais. Desse modo, verificam-se os antecedentes dos sócios na Receita Federal e nos órgãos de pesquisa de CPF.

Solicitação de CNPJ na Receita Federal

Para ser reconhecida pelo Estado, sua empresa precisará ser registrada nos órgãos oficiais. O principal instrumento para isso é o CNPJ, número de registro obrigatório para todas as empresas formais.

Alvará de funcionamento

É uma autorização da administração municipal para o funcionamento das atividades de sua empresa no local pretendido. Para isso, será realizada uma vistoria da vigilância sanitária em seu negócio

Solicitação de enquadramento na Entidade Sindical Patronal

Apesar de estar seguindo uma carreira empreendedora, ainda será necessário recolher anualmente a contribuição sindical.

Cadastramento no sistema Conectividade Social

Para poder admitir funcionários surpresas, deverão ser recolhidos o INSS e o FGTS. Para isso, é preciso um registro nesse banco de dados com os documentos de identificação da sua pessoa jurídica.

Inspeção do corpo de bombeiros

Qualquer estabelecimento comercial deve ter suas instalações inspecionados e autorizadas por perícia do corpo de bombeiros regional. Isso evitará acidentes com seu público.

Assim, depois de tanto esforço, você será recompensada com um percurso livre para ser uma nutricionista empreendedora. O seu sucesso estará em suas mãos! Para garanti-lo, você deve manter sempre uma mente inovadora, utilizar ferramentas arrojadas e um espírito determinado.

Um bom empreendedor também não poderá se descuidar da gestão de seu negócio, não é mesmo? Então, confira o nosso post com dicas excelentes!

 

7 práticas para uma boa gestão de clientes de nutrição

Administrar qualquer negócio, em dias com tanta concorrência como os de hoje, pode ser uma tarefa extremamente complexa, especialmente quando pensamos em empreendimentos da área da saúde.

Esse é um mercado extremamente exigente e complexo, o que torna fundamental o conhecimento adequado das melhores práticas para uma boa gestão de clientes de nutrição.

O ramo está em crescimento e quem souber oferecer o melhor atendimento e conseguir um relacionamento positivo com o seu público pode ter excelentes resultados.

O melhor dessa história é que, com algumas atitudes simples, é possível imprimir uma tremenda diferença.

Quer descobrir como fazer isso? Então confira atentamente as 7 boas práticas que indicaremos a seguir:

1. Organize a sua clínica de nutrição

O primeiro passo para uma boa gestão de clientes de nutrição é apostar na organização da própria clínica, afinal, um local bagunçado certamente não contribuirá para que você tenha facilidade em administrar o seu público com maestria.

E vale lembrar que essa atitude deve englobar tanto o ambiente em si quanto os processos e os funcionários. Em sua equipe, reforce a obrigação de que tudo deve ser feito com planejamento e sem afobação.

Se necessário, invista em treinamentos e cursos para que os funcionários se aprimorem em suas funções. Encare isso como um investimento, e não um gasto, pois o retorno chega rapidamente. Reuniões periódicas também são uma boa ação.

Para o local em si, não se esqueça de ter arquivos, pastas e gavetas em número adequado, pois, assim, você poderá separar as documentações e as papeladas dos pacientes e consiguirá encontrá-las facilmente durante uma consulta ou outra eventual necessidade.

2. Saiba controlar a sua agenda

Ainda na seara das práticas que você precisa incutir na clínica e na própria equipe, está o controle preciso da agenda.

Muitos profissionais da área de saúde e dos mais variados segmentos caem na tentação de encher os seus horários de consultas, e isso é péssimo para quem anseia por uma boa gestão de clientes de nutrição.

Coordene adequadamente a visita dos seus pacientes e estabeleça alguns “buracos” no seu dia para encaixes ou eventuais atrasos.

Essa é uma maneira de valorizar o atendimento e não correr o risco de ter que apressar o seu trabalho, o que aumentaria a chance de perder não apenas a qualidade do serviço, mas também a credibilidade com o seu público.

3. Foque na pontualidade do atendimento

Pouco adianta investir em uma agenda perfeitamente organizada se você chega atrasado aos compromissos.

Por essa razão, investir em pontualidade no atendimento é uma atitude fundamental para o sucesso em um consultório de qualquer segmento da área da saúde, inclusive quando o assunto é nutrição.

Ninguém gosta de aguardar mais do que o previsto para ser atendido, e se os clientes virem que você perdeu o horário sem nenhuma excelente razão, a confiabilidade nos seus serviços tende a diminuir bastante.

Em caso de contratempos, as pessoas devem ser informadas, se possível, até com o fornecimento de uma previsão de chegada.

4. Estabeleça diversos canais de comunicação

Ampliar ao máximo os seus canais de comunicação é uma das mais eficazes práticas para uma boa gestão de clientes de nutrição.

O lado bom dessa história é que a modernidade pode ser uma forte aliada para que você faça isso de um jeito eficaz e sem demandar o investimento de grandes recursos.

O telefone fixo da clínica, por exemplo, é apenas o básico. É interessante também que você possua um celular profissional, cujo número deve ser exclusivo para os pacientes.

Disponibilizar um endereço de e-mail também é uma excelente alternativa — lembrando que a caixa de entrada deve ser verificada em bases diárias.

Para os mais antenados, apostar nos aplicativos de conversa pode ser uma opção interessante. Instrua um funcionário com bom-senso para ficar responsável pelos contatos no programa e utilize-o para oferecer promoções, passar informações e dar mais uma escolha para o seu público.

5. Invista em um ambiente aconchegante

Até mesmo contar com um ambiente aconchegante na clínica pode ajudar a conseguir uma boa gestão de clientes de nutrição.

Um local limpo, adequadamente iluminado, com uma ventilação eficiente e algumas opções de distração já torna a espera por uma consulta muito mais amena e confortável.

O foco, então, deve ser na sala de espera. Oferecer água fresca e investir em um bom ar condicionado são atitudes fundamentais.

Além disso, televisão, jornais e revistas podem ajudar a passar o tempo mais facilmente. Outro item que também é muito valorizado atualmente são as máquinas de café.

6. Monitore atentamente o seu estoque

Ficar sem alguns itens no estoque pode minar as suas chances de uma boa gestão de clientes de nutrição.

Imagine, por exemplo, se perceber sem canetas para anotar os dados das pessoas ou mesmo sem tinta na impressora para entregar um plano de dieta alimentar?

O ideal, portanto, é fazer um planejamento desses produtos e jamais deixá-los acabar.

Você tem uma boa ideia do quanto gasta de papel por mês? Sabe quantos cartuchos de impressão acabam? Até mesmo os sachês ou o pó do cafezinho que você serve para os seus pacientes na sala de espera devem entrar na conta.

Faça esse controle e evite uma surpresa desagradável na hora do atendimento.

7. Utilize um sistema de gestão

Por fim, fazer uso de um bom sistema de gestão pode ser imprescindível para o sucesso de um consultório de nutrição.

Esse tipo de programa permite muito mais praticidade e precisão nos atendimentos, fazendo com que o seu negócio seja mais profissional e passe mais credibilidade para o público em geral.

É possível inserir os horários das consultas e as informações dos pacientes e se aproveitar das diversas funcionalidades, como: preencher a ficha cadastral, fazer anotações da prescrição e da análise da dieta, checar a avaliação clínica e nutricional, entre outros recursos importantes.

Dessa forma, você melhora a experiência do cliente e diminui bastante as chances de erros e retrabalho.

Essas são algumas das melhores práticas para uma boa gestão de clientes de nutrição!

Gostou do conteúdo? Ficou interessado em um software de gestão para a sua clínica? Então, que tal aproveitar o embalo da leitura e já fazer um teste gratuito com o Nutrisoft?

Gestão de tempo: 6 dicas para melhorar sua saúde e produtividade

Os grandes centros urbanos e o estilo de vida contemporâneo imprimem uma demanda muito grande nos horários de boa parte das pessoas. Por isso mesmo, fazer uma boa gestão de tempo é essencial para quem deseja manter a saúde em dia e não quer perder em produtividade.

O fato é que nem sempre fazemos as melhores escolhas e isso acaba por piorar ainda mais essa situação. No entanto, com algumas atitudes simples, é possível retomar o controle e melhorar substancialmente o nosso desempenho nas mais diversas áreas de atuação.

Quer descobrir como fazer isso? Então confira atentamente o conteúdo a seguir e conheça as dicas que preparamos para você:

1. Invista em organização

O primeiro passo para conquistar uma boa gestão de tempo é investir na organização. Afinal, tanto em sua casa quanto no local de trabalho, um ambiente arrumado é fundamental para facilitar a visualização e o cumprimento das suas tarefas. Saber rapidamente onde está um arquivo ou documento, por exemplo, é essencial para um desempenho melhor.

Uma boa ideia pode ser comprar novos móveis ou acessórios que contribuam para isso. Gaveteiros, estantes, pastas ou organizadores, por exemplo, podem ser importantes para que tudo fique no lugar. Colocar etiquetas na face exterior também ajuda bastante na identificação dos seus itens.

Outra atitude indispensável é colocar tudo o que você utiliza com mais frequência em locais que estejam sempre ao alcance das suas mãos. Livros que você consulta mais podem ser colocados em prateleiras logo acima do seu computador, junto aos artigos mais úteis, como grampeadores, clips e canetas.

2. Aposte na tecnologia

A tecnologia já faz parte das nossas vidas e também pode ser de grande valia para uma boa gestão de tempo. Nos dias de hoje, praticamente ninguém sobrevive sem um computador, independentemente da sua área de atuação. Diante disso, organizar os seus arquivos e programas, deletando o que não for mais necessário, também é importante.

Se você for mais moderno e colocar a sua vida profissional e pessoal no seu smartphone ou tablet, investir em bons aplicativos organizadores de tarefas pode ser uma excelente ideia. Esses softwares são extremamente práticos e ordenam os seus afazeres, lembrando de horários e compromissos em tempo real.

Existem diversos apps com esse propósito e você deve escolher no máximo um ou dois que possam agilizar o seu dia a dia, para que eles não ocupem muito espaço ou acabem confundindo mais do que ajudando. Os recursos e funcionalidades são praticamente infinitos e os resultados são incríveis.

3. Defina as suas prioridades

Definir prioridades é uma dica muito comum de profissionais de sucesso. Quem não traça metas e estipula objetivos acaba perdendo tempo com tarefas menos importantes e corre o risco de não cumprir com os itens mais essenciais da sua agenda. Por isso, diariamente, liste suas obrigações e programe o que for primordial primeiro.

Coloque sempre o que tem mais urgência ou exige mais atenção antes dos afazeres mais corriqueiros, que podem esperar. Outra atitude inteligente é listar tudo o que você necessita para cumprir cada item: solicitar um relatório, pedir um orçamento, fazer um contato telefônico, comprar material, consertar uma planilha, entre outros.

4. Não faça nada pela metade

Não adianta tentar dar um jeitinho ou cumprir suas tarefas pelo caminho mais fácil. Usar esse tipo de atalho pode minar a sua gestão de tempo e destruir a sua produtividade. Se você deseja um excelente desempenho, tenha em mente que você deve terminar todas as suas tarefas e não deixar nada pela metade ou mal feito.

Vivemos tempos onde as distrações são constantes e perder o foco não é nada difícil. Geralmente estamos nos equilibrando entre a vida pessoal e profissional, checando e-mails, empreendendo, atendendo clientes, conversando com a família ou olhando nossas redes sociais, tudo na mesma hora e em diferentes mídias.

Para não perder energia, termine tudo o que começar. Se você começou a escrever um relatório, coloque o celular no mudo e nada de olhar o seu Facebook ou Instagram. Dessa forma, você evita o desperdício de energia, não cai na armadilha do retrabalho e ganha pontos preciosos no seu desempenho.

5. Descanso também faz parte

Lembrar que você também merece um tempo de descanso faz parte de uma boa gestão de tempo, afinal, ninguém consegue ter um excelente nível de produtividade se não descansar e recuperar as energias para o dia seguinte. Estender demais o seu horário de trabalho, por exemplo, só vai deixá-lo estafado e menos eficiente.

Ainda que você seja esforçado e se sinta cheio de gás, é primordial respeitar os intervalos para se tranquilizar, fazer alongamentos e até se alimentar. Lembre-se que o nosso cansaço não é apenas físico, mas também psicológico. Como consequência de um excesso, você pode se distrair e cometer erros que não aconteceriam se estivesse mais atento.

Não se esqueça também das suas tão esperadas férias. Programar algumas semanas em um lugar bacana que você deseja conhecer, longe do estresse e da correria da cidade grande pode ser muito positivo para sua vida profissional. Desligue-se completamente, esqueça a sua caixa de e-mails e aproveite para deixar seu telefone sem bateria.

6. Reavalie os seus resultados

Por fim, a última dica para uma boa gestão de tempo é reavaliar os seus resultados. Se mesmo seguindo todas essas dicas você não estiver tendo ganhos excelentes em desempenho e produtividade, é hora de ser mais honesto e autocrítico consigo mesmo e checar onde você pode estar errando.

Muitas vezes, você pode estar em uma posição errada na empresa ou minando a sua saúde com o sedentarismo, o estresse ou uma dieta alimentar pouco adequada. Pare de ir ao sabor da corrente e imprima as mudanças que você precisa para produzir o seu melhor. O seu rumo depende, mais do que nada, das suas próprias decisões!

Essas são algumas dicas fundamentais para que você consiga fazer uma gestão de tempo mais eficiente e melhore a sua saúde e sua produtividade. Gostou desse conteúdo? Ainda ficou com alguma dúvida? Conte para nós nos comentários!

Software para nutricionistas: 6 cuidados obrigatórios ao escolher

A otimização do tempo é um fator-chave para que o profissional liberal possa garantir o atendimento de um grande número de pessoas e, consequentemente, alcançar a renda desejada. Por isso, é necessário contar com aliados que facilitem a produtividade, e o software para nutricionistas é uma dessas opções. No entanto, é necessário tomar alguns cuidados ao escolhê-lo. Você sabe o que analisar?

Ler mais
Página 2 de 812345...Última »