Gustavo Silva

Como elaborar uma dieta completa para seus pacientes

Uma dieta completa e saudável deve ser composta por todos os grupos alimentares: proteínas, carboidratos, vegetais tipo A (verduras) e vegetais tipo B (legumes). Quanto mais equilibrada e variada, melhor para o paciente adquirir o hábito de consumir alimentos ricos em vitaminas e nutrientes essenciais para a saúde.

Mas você sabe como elaborar uma dieta completa para seus pacientes? Neste post daremos algumas dicas que vão ajudar no seu trabalho como nutricionista e empreendedora.  

Ficou interessada no assunto? Acompanhe então nosso artigo!

1. Escute seu paciente

O primeiro passo para elaborar uma dieta completa é você ouvir o paciente. Levante dados, como quantas vezes ele come por dia, horários, os alimentos de que gosta e os que não lhe caem bem no cardápio. Se é alérgico ou se tem intolerância alimentar e o que tem costume de comer.

Junte essas informações com a situação socioeconômica e faça o ajuste alimentar, não se esquecendo de respeitar sua cultura.

A melhor maneira de preparar uma dieta completa é você ouvir o que seu paciente tem a dizer. Portanto, escute sempre!

2. Calcule a quantidade de alimentos

É importante considerar o número de refeições diárias que devem ser de 4 a 6. Sendo que durante o dia há três principais que o paciente não deve pular: café da manhã, almoço e jantar.

Além dessas, também deve-se pensar nos intervalos que são os lanches: lanche da manhã, da tarde e da noite.

Faça uma estimativa do valor energético total (VET) considerando a atividade do seu paciente. As refeições principais devem conter até 40% do VET e as intermediárias 15%.

3. Insira todos os grupos alimentares na dieta

O paciente deve comer um pouco de tudo, mas de maneira moderada. A dieta deve ter proteínas, vitaminas importantes que são encontradas nas frutas, verduras e legumes e o carboidrato para ter energia.

Afinal de contas, você não quer que seu cliente sinta fraqueza ao realizar suas tarefas diárias. Por isso, calcule tudo de maneira adequada, seguindo os princípios do guia alimentar brasileiro e a pirâmide dos alimentos. Faça com que seu paciente tenha uma dieta saudável!

4. Utilize ferramentas para criar uma dieta completa

Uma boa dica é você utilizar ferramentas que ajudam a criar uma dieta balanceada e saudável. Uma delas é o Software para Nutricionistas. Ele melhora o trabalho do profissional, ajudando-o a calcular automaticamente medidas como percentual de gordura, gasto energético, massa muscular e outras informações importantes de acordo com os protocolos reconhecidos.

Além disso, o Software oferece um banco de dados com sugestões de cardápio e substituição dos alimentos, ajudando em todas as etapas do atendimento médico, já que, por meio de um aplicativo, auxilia na verificação do consumo de alimentos do paciente.

Dessa maneira, quem procura orientação nutricional tem o apoio no momento da consulta, na elaboração do plano alimentar e no pós-atendimento.

5. Elabore um cardápio semanal equilibrado

Um cardápio equilibrado é aquele que tem todos os grupos alimentares. No caso do almoço e do jantar, separamos algumas dicas:

Carboidratos

Você pode sugerir arroz ou macarrão integral, polenta ou mandioquinha cozida. Só não dá para misturar os carboidratos.

Saladas (Vegetais Tipo A)

Indique a vontade saladas de alface, escarola, rúcula ou agrião. Só peça para que seu paciente tome cuidado com os temperos e molhos. Também é importante não abusar do sal.  

Legumes (Vegetais Tipo B)

Cenoura, rabanete, beterraba ou abóbora madura são excelentes opções de vegetais tipo B para você incluir na dieta. Basta indicar as medidas certas.

Proteína

A proteína deve estar presente no prato principal. Escreva uma porção de carne de boi, filé de peito de frango ou filé de peixe grelhados.

Ferro

Uma grande fonte de ferro é o feijão. Ele combate a anemia e por isso não deve ser deixado de fora da alimentação do seu paciente.

Frutas

As frutas podem ser servidas como sobremesa no lugar dos doces. No caso de maçã, o ideal é consumi-la com a casca, porque é rica em fibras, o que ajuda no funcionamento do intestino.

6. Combine bem os alimentos para uma dieta completa

Duas importantes refeições são o almoço e o jantar. Além do café da manhã e dos lanches durante o dia, as principais refeições devem agradar o paladar e a saúde.

Aqui nós temos algumas sugestões para que você possa combinar os alimentos e fazer com que seu paciente tenha uma dieta nutritiva e saborosa. Confira:

Almoço

Primeira opção

Arroz integral com brócolis, feijão, carne de boi grelhada e acebolada e salada de alface com tomate.

Segunda opção

Macarrão integral, filé de peito de frango grelhado, salada de rúcula e tomate-cereja.

Terceira opção

Arroz integral, feijão, couve refogada, palmito e omelete com cebolinha verde.

Quarta opção

Bacalhau assado com batata-inglesa, salada de alface-americana e sementes de chia.

Jantar

Primeira opção

Salada de folhas verdes, tomate, beterraba cozida, cenoura ralada, arroz integral e atum.

Segunda opção

Arroz 7 grãos, carne moída com vagem, salada de agrião com tomate e cenoura refogada.

Terceira opção

Purê de batata-doce, almôndegas assada, salada de rúcula com tomate-cereja e ervilha refogada.

Quarta opção

Purê de mandioquinha, brócolis no vapor, frango grelhado, cenoura e beterraba raladas e brócolis no vapor.

7. Deixe os alimentos gordurosos fora da dieta

A dieta saudável não pode ter alimentos gordurosos como frituras e embutidos (salame, mortadela, salsicha e linguiça). Evite creme de leite e preparações que levam manteiga e óleo.

Também é importante evitar carnes como fraldinha, acém, picanha, cupim e costela, pele de frango, queijos amarelos, todos considerados alimentos com alto índice de gordura.

Não faça sugestões de carboidratos com alto índice glicêmico, tais quais alimentos preparados com farinha refinada como bolos e tortas.

Viu como é fácil elaborar uma dieta completa para seus pacientes? O primeiro passo é ouvi-los, saber seus gostos e restrições. Procure elaborar cardápios coloridos que chamem a atenção do olhar e agradam o paladar. Com essas dicas simples, você será uma referência no seu trabalho como nutricionista e uma grande empreendedora.

Gostou das nossas dicas para montar uma dieta completa? Aproveite e dê uma olhada no nosso post sobre as 6 obras que você nutricionista precisa ler!

 

Aprenda tudo sobre marketing digital para nutricionistas

Atualmente, a vitrine que mostra o trabalho de qualquer profissional para o mundo é a internet, e com os nutricionistas não é diferente. Utilizá-la com inteligência é a chave para captar clientes, desenvolver um relacionamento com o público, solidificar a reputação e, desta forma, conquistar sua fatia no mercado. Concorda? Mas para alcançar bons resultados e aproveitar as oportunidades que o momento oferece, é essencial saber como usar o marketing digital para nutricionistas.

Sabe como utilizar esta ferramenta? Conhece as melhores formas de promover o seu trabalho através de sites, blogs e redes sociais? Quer abrir sua clínica e precisa acelerar a captação de clientes? Este post contém todas essas respostas! Nele, vamos apresentar conceitos e técnicas fundamentais para você aprender tudo o que precisa sobre marketing digital e como utilizá-lo para fazer seu nome e sua clínica crescerem e aparecerem cada vez mais. Preparada?    

Entenda a importância do marketing digital para nutricionistas

Este é o princípio para quem quer fazer da internet uma plataforma de divulgação: entender sua importância. Não basta criar uma página nas redes sociais e publicar banners para vender o trabalho. Essa postura afasta, na verdade, afasta o seu público!

Especialistas em marketing digital e de conteúdo descobriram que as pessoas que navegam pela rede já aprenderam a ignorar muitas das propagandas que aparecem na tela. Elas simplesmente deslizam os olhos, não prestam atenção e não clicam.

A internet oferece espaço para todos publicarem o que desejam. Mas para que as pessoas se interessem, é preciso atraí-las com a estratégia apropriada. E então você pergunta: e qual estratégia é essa? A resposta é simples: o conteúdo que é oferecido.

Atenda os interesses do público

Para fazer isso, é preciso identificar os motivos que levam as pessoas a procurarem os serviços de um nutricionista e descobrir quem são elas.

Embora a “resposta certa” seja clientes que buscam uma alimentação mais saudável, sabemos que, na realidade, existem outros interesses por trás dessa busca, na maioria das vezes. Provavelmente, o nutricionista atende uma grande quantidade de:

  • pessoas que desejam emagrecer, seja por razões estéticas ou por orientação médica;

  • atletas que querem energia para treinar e acelerar o ganho de massa muscular;

  • clientes que querem ganhar contornos corporais (sim, tem gente que quer “engordar”!);

  • pacientes com condições clínicas específicas e que necessitam adequar a dieta (diabéticos, hipertensos, pessoas com disfunção renal, etc.).

Como você acabou de ler, sabemos que há outras razões para procurar um nutricionista. Então, descobrindo quais são as necessidades do seu público, é preciso produzir um conteúdo que responda às questões ou insatisfações que ele tem em mente.

Uma ótima dica é focar em textos, vídeos e infográficos que você pode elaborar sobre temas interessantes destinados a este público. As pessoas que buscam por essas respostas, com certeza, chegarão ao seu site ou rede social, o que já é um grande passo para conquistá-las.

E, por falar em site, é importante definir o melhor canal para “fisgar” o seu público. Para quem quer credibilidade e captação de clientes, um blog é a melhor alternativa, por exemplo.

Aposte em um blog

Antes mesmo de pensar na divulgação em redes sociais, a principal forma de atrair e fidelizar seu público é tendo um blog. Na maioria das vezes, as pessoas não iniciam uma busca em mecanismos de pesquisa procurando nutricionistas específicos. Na maioria das vezes, elas trazem questões para as quais querem respostas.

Nesse caso, um blog traz as respostas para as indagações que a pessoa procura e transmite credibilidade. Mas, para isso, é necessário caprichar nos posts! A leitura deve ser agradável, com fontes confiáveis, ilustrações de qualidade, sempre que possível, tudo isso em um design atrativo. Explique também o que é mais complicado ou detalhado através de infográficos, use vídeos para divulgar receitas, e por aí vai.

O seu blog pode ser um espaço em que o público sente que encontrou a resposta das suas dúvidas e necessidades. Nele, as pessoas podem encontrar conhecimento um pouco mais teórico sobre um assunto, dicas, receitas, novidades e tendências em primeira mão, resenhas sobre produtos, etc.

Com uma dose de criatividade e boa vontade, o seu blog pode te ajudar a se tornar uma referência na área da nutrição!

Divulgue nas redes sociais

Com um conteúdo interessante já elaborado, você já pode divulgá-lo através das redes sociais. O ideal é que a presença digital não seja focada em um único canal, e as opções mais interessantes são aquelas em que seus clientes estão engajados. Por isso, uma pesquisa é muito útil.

Atualmente, grande parte das pessoas está no Facebook, Instagram e Twitter. O Snapchat também pode ser uma alternativa viável, dependendo da adesão da sua clientela. E aí é só divulgar: estabeleça dias específicos para postar e faça seu público aguardar ansiosamente pelo seu texto. Divulgue cada post novo do blog nessas redes.

Outra iniciativa interessante é criar hashtags e incluí-las ao compartilhar seus posts. Pode ser algo permanente, relacionado a dicas, receitas, etc. Também é possível criar campanhas em épocas específicas: antes do verão, ou no início do ano. Basta pensar em algo criativo e usar as redes para divulgar.

Estimule também os clientes mais conectados a postarem seus pratos com essas hashtags específicas e promova algum tipo de incentivo. Desta forma, seu nome ficará cada vez mais em evidência. Com o conteúdo e a linguagem corretas, suas postagens serão compartilhadas, ampliando o alcance do seu trabalho!

Promova engajamento

O sonho de quem divulga seu trabalho nas redes sociais é ver o engajamento do público com o conteúdo. Isso acontece quando as pessoas comentam os posts, compartilham e curtem as publicações. Mas como isso pode trazer vantagens?

Em primeiro lugar, gera publicidade. Desta forma, seu trabalho se torna conhecido também por pessoas que não fazem parte de seu círculo mais próximo: são amigos dos amigos dos amigos.

Os outros resultados deste engajamento são a solidificação de sua reputação. Com a publicidade correta, seu nome pode se tornar referência. Se os seus posts trouxerem informações novas e interessantes, eles podem começar a ser linkados por outros sites, e o retorno disso é espetacular.

E não para por aí! Esse engajamento e procura faz com que, nos algoritmos dos mecanismos de busca, seu site ou blog tenha um posicionamento melhor. E o que isso quer dizer, exatamente? Significa que, quando as pessoas fizerem busca por uma pergunta ou frase que está presente no seu blog, ele será listado entre as primeiras opções de resposta. Ou seja, as chances de as pessoas clicarem nele são muito maiores.

Como você pode perceber, isso cria um ciclo virtuoso. Você produz conteúdo, divulga, as pessoas gostam, curtem, comentam. O Google mostra seu site nas primeiras posições, mais pessoas visitam o blog, curtem, comentam… Dessa forma, seu blog se torna cada vez mais visível, assim como o seu trabalho!

Entendeu como o marketing digital para nutricionistas pode promover o seu trabalho e garantir a cartela de clientes que você sempre sonhou? Quer conhecer outras formas de alavancar sua carreira? Então não perca tempo! Siga-nos no Facebook e Instagram e fique por dentro de dicas e novidades imperdíveis que vão fazê-lo alcançar o sucesso muito mais rápido! Nos encontramos por lá!

7 práticas para uma boa gestão de clientes de nutrição

Administrar qualquer negócio, em dias com tanta concorrência como os de hoje, pode ser uma tarefa extremamente complexa, especialmente quando pensamos em empreendimentos da área da saúde.

Esse é um mercado extremamente exigente e complexo, o que torna fundamental o conhecimento adequado das melhores práticas para uma boa gestão de clientes de nutrição.

O ramo está em crescimento e quem souber oferecer o melhor atendimento e conseguir um relacionamento positivo com o seu público pode ter excelentes resultados.

O melhor dessa história é que, com algumas atitudes simples, é possível imprimir uma tremenda diferença.

Quer descobrir como fazer isso? Então confira atentamente as 7 boas práticas que indicaremos a seguir:

1. Organize a sua clínica de nutrição

O primeiro passo para uma boa gestão de clientes de nutrição é apostar na organização da própria clínica, afinal, um local bagunçado certamente não contribuirá para que você tenha facilidade em administrar o seu público com maestria.

E vale lembrar que essa atitude deve englobar tanto o ambiente em si quanto os processos e os funcionários. Em sua equipe, reforce a obrigação de que tudo deve ser feito com planejamento e sem afobação.

Se necessário, invista em treinamentos e cursos para que os funcionários se aprimorem em suas funções. Encare isso como um investimento, e não um gasto, pois o retorno chega rapidamente. Reuniões periódicas também são uma boa ação.

Para o local em si, não se esqueça de ter arquivos, pastas e gavetas em número adequado, pois, assim, você poderá separar as documentações e as papeladas dos pacientes e consiguirá encontrá-las facilmente durante uma consulta ou outra eventual necessidade.

2. Saiba controlar a sua agenda

Ainda na seara das práticas que você precisa incutir na clínica e na própria equipe, está o controle preciso da agenda.

Muitos profissionais da área de saúde e dos mais variados segmentos caem na tentação de encher os seus horários de consultas, e isso é péssimo para quem anseia por uma boa gestão de clientes de nutrição.

Coordene adequadamente a visita dos seus pacientes e estabeleça alguns “buracos” no seu dia para encaixes ou eventuais atrasos.

Essa é uma maneira de valorizar o atendimento e não correr o risco de ter que apressar o seu trabalho, o que aumentaria a chance de perder não apenas a qualidade do serviço, mas também a credibilidade com o seu público.

3. Foque na pontualidade do atendimento

Pouco adianta investir em uma agenda perfeitamente organizada se você chega atrasado aos compromissos.

Por essa razão, investir em pontualidade no atendimento é uma atitude fundamental para o sucesso em um consultório de qualquer segmento da área da saúde, inclusive quando o assunto é nutrição.

Ninguém gosta de aguardar mais do que o previsto para ser atendido, e se os clientes virem que você perdeu o horário sem nenhuma excelente razão, a confiabilidade nos seus serviços tende a diminuir bastante.

Em caso de contratempos, as pessoas devem ser informadas, se possível, até com o fornecimento de uma previsão de chegada.

4. Estabeleça diversos canais de comunicação

Ampliar ao máximo os seus canais de comunicação é uma das mais eficazes práticas para uma boa gestão de clientes de nutrição.

O lado bom dessa história é que a modernidade pode ser uma forte aliada para que você faça isso de um jeito eficaz e sem demandar o investimento de grandes recursos.

O telefone fixo da clínica, por exemplo, é apenas o básico. É interessante também que você possua um celular profissional, cujo número deve ser exclusivo para os pacientes.

Disponibilizar um endereço de e-mail também é uma excelente alternativa — lembrando que a caixa de entrada deve ser verificada em bases diárias.

Para os mais antenados, apostar nos aplicativos de conversa pode ser uma opção interessante. Instrua um funcionário com bom-senso para ficar responsável pelos contatos no programa e utilize-o para oferecer promoções, passar informações e dar mais uma escolha para o seu público.

5. Invista em um ambiente aconchegante

Até mesmo contar com um ambiente aconchegante na clínica pode ajudar a conseguir uma boa gestão de clientes de nutrição.

Um local limpo, adequadamente iluminado, com uma ventilação eficiente e algumas opções de distração já torna a espera por uma consulta muito mais amena e confortável.

O foco, então, deve ser na sala de espera. Oferecer água fresca e investir em um bom ar condicionado são atitudes fundamentais.

Além disso, televisão, jornais e revistas podem ajudar a passar o tempo mais facilmente. Outro item que também é muito valorizado atualmente são as máquinas de café.

6. Monitore atentamente o seu estoque

Ficar sem alguns itens no estoque pode minar as suas chances de uma boa gestão de clientes de nutrição.

Imagine, por exemplo, se perceber sem canetas para anotar os dados das pessoas ou mesmo sem tinta na impressora para entregar um plano de dieta alimentar?

O ideal, portanto, é fazer um planejamento desses produtos e jamais deixá-los acabar.

Você tem uma boa ideia do quanto gasta de papel por mês? Sabe quantos cartuchos de impressão acabam? Até mesmo os sachês ou o pó do cafezinho que você serve para os seus pacientes na sala de espera devem entrar na conta.

Faça esse controle e evite uma surpresa desagradável na hora do atendimento.

7. Utilize um sistema de gestão

Por fim, fazer uso de um bom sistema de gestão pode ser imprescindível para o sucesso de um consultório de nutrição.

Esse tipo de programa permite muito mais praticidade e precisão nos atendimentos, fazendo com que o seu negócio seja mais profissional e passe mais credibilidade para o público em geral.

É possível inserir os horários das consultas e as informações dos pacientes e se aproveitar das diversas funcionalidades, como: preencher a ficha cadastral, fazer anotações da prescrição e da análise da dieta, checar a avaliação clínica e nutricional, entre outros recursos importantes.

Dessa forma, você melhora a experiência do cliente e diminui bastante as chances de erros e retrabalho.

Essas são algumas das melhores práticas para uma boa gestão de clientes de nutrição!

Gostou do conteúdo? Ficou interessado em um software de gestão para a sua clínica? Então, que tal aproveitar o embalo da leitura e já fazer um teste gratuito com o Nutrisoft?

Gestão de tempo: 6 dicas para melhorar sua saúde e produtividade

Os grandes centros urbanos e o estilo de vida contemporâneo imprimem uma demanda muito grande nos horários de boa parte das pessoas. Por isso mesmo, fazer uma boa gestão de tempo é essencial para quem deseja manter a saúde em dia e não quer perder em produtividade.

O fato é que nem sempre fazemos as melhores escolhas e isso acaba por piorar ainda mais essa situação. No entanto, com algumas atitudes simples, é possível retomar o controle e melhorar substancialmente o nosso desempenho nas mais diversas áreas de atuação.

Quer descobrir como fazer isso? Então confira atentamente o conteúdo a seguir e conheça as dicas que preparamos para você:

1. Invista em organização

O primeiro passo para conquistar uma boa gestão de tempo é investir na organização. Afinal, tanto em sua casa quanto no local de trabalho, um ambiente arrumado é fundamental para facilitar a visualização e o cumprimento das suas tarefas. Saber rapidamente onde está um arquivo ou documento, por exemplo, é essencial para um desempenho melhor.

Uma boa ideia pode ser comprar novos móveis ou acessórios que contribuam para isso. Gaveteiros, estantes, pastas ou organizadores, por exemplo, podem ser importantes para que tudo fique no lugar. Colocar etiquetas na face exterior também ajuda bastante na identificação dos seus itens.

Outra atitude indispensável é colocar tudo o que você utiliza com mais frequência em locais que estejam sempre ao alcance das suas mãos. Livros que você consulta mais podem ser colocados em prateleiras logo acima do seu computador, junto aos artigos mais úteis, como grampeadores, clips e canetas.

2. Aposte na tecnologia

A tecnologia já faz parte das nossas vidas e também pode ser de grande valia para uma boa gestão de tempo. Nos dias de hoje, praticamente ninguém sobrevive sem um computador, independentemente da sua área de atuação. Diante disso, organizar os seus arquivos e programas, deletando o que não for mais necessário, também é importante.

Se você for mais moderno e colocar a sua vida profissional e pessoal no seu smartphone ou tablet, investir em bons aplicativos organizadores de tarefas pode ser uma excelente ideia. Esses softwares são extremamente práticos e ordenam os seus afazeres, lembrando de horários e compromissos em tempo real.

Existem diversos apps com esse propósito e você deve escolher no máximo um ou dois que possam agilizar o seu dia a dia, para que eles não ocupem muito espaço ou acabem confundindo mais do que ajudando. Os recursos e funcionalidades são praticamente infinitos e os resultados são incríveis.

3. Defina as suas prioridades

Definir prioridades é uma dica muito comum de profissionais de sucesso. Quem não traça metas e estipula objetivos acaba perdendo tempo com tarefas menos importantes e corre o risco de não cumprir com os itens mais essenciais da sua agenda. Por isso, diariamente, liste suas obrigações e programe o que for primordial primeiro.

Coloque sempre o que tem mais urgência ou exige mais atenção antes dos afazeres mais corriqueiros, que podem esperar. Outra atitude inteligente é listar tudo o que você necessita para cumprir cada item: solicitar um relatório, pedir um orçamento, fazer um contato telefônico, comprar material, consertar uma planilha, entre outros.

4. Não faça nada pela metade

Não adianta tentar dar um jeitinho ou cumprir suas tarefas pelo caminho mais fácil. Usar esse tipo de atalho pode minar a sua gestão de tempo e destruir a sua produtividade. Se você deseja um excelente desempenho, tenha em mente que você deve terminar todas as suas tarefas e não deixar nada pela metade ou mal feito.

Vivemos tempos onde as distrações são constantes e perder o foco não é nada difícil. Geralmente estamos nos equilibrando entre a vida pessoal e profissional, checando e-mails, empreendendo, atendendo clientes, conversando com a família ou olhando nossas redes sociais, tudo na mesma hora e em diferentes mídias.

Para não perder energia, termine tudo o que começar. Se você começou a escrever um relatório, coloque o celular no mudo e nada de olhar o seu Facebook ou Instagram. Dessa forma, você evita o desperdício de energia, não cai na armadilha do retrabalho e ganha pontos preciosos no seu desempenho.

5. Descanso também faz parte

Lembrar que você também merece um tempo de descanso faz parte de uma boa gestão de tempo, afinal, ninguém consegue ter um excelente nível de produtividade se não descansar e recuperar as energias para o dia seguinte. Estender demais o seu horário de trabalho, por exemplo, só vai deixá-lo estafado e menos eficiente.

Ainda que você seja esforçado e se sinta cheio de gás, é primordial respeitar os intervalos para se tranquilizar, fazer alongamentos e até se alimentar. Lembre-se que o nosso cansaço não é apenas físico, mas também psicológico. Como consequência de um excesso, você pode se distrair e cometer erros que não aconteceriam se estivesse mais atento.

Não se esqueça também das suas tão esperadas férias. Programar algumas semanas em um lugar bacana que você deseja conhecer, longe do estresse e da correria da cidade grande pode ser muito positivo para sua vida profissional. Desligue-se completamente, esqueça a sua caixa de e-mails e aproveite para deixar seu telefone sem bateria.

6. Reavalie os seus resultados

Por fim, a última dica para uma boa gestão de tempo é reavaliar os seus resultados. Se mesmo seguindo todas essas dicas você não estiver tendo ganhos excelentes em desempenho e produtividade, é hora de ser mais honesto e autocrítico consigo mesmo e checar onde você pode estar errando.

Muitas vezes, você pode estar em uma posição errada na empresa ou minando a sua saúde com o sedentarismo, o estresse ou uma dieta alimentar pouco adequada. Pare de ir ao sabor da corrente e imprima as mudanças que você precisa para produzir o seu melhor. O seu rumo depende, mais do que nada, das suas próprias decisões!

Essas são algumas dicas fundamentais para que você consiga fazer uma gestão de tempo mais eficiente e melhore a sua saúde e sua produtividade. Gostou desse conteúdo? Ainda ficou com alguma dúvida? Conte para nós nos comentários!

Software para nutricionistas: 6 cuidados obrigatórios ao escolher

A otimização do tempo é um fator-chave para que o profissional liberal possa garantir o atendimento de um grande número de pessoas e, consequentemente, alcançar a renda desejada. Por isso, é necessário contar com aliados que facilitem a produtividade, e o software para nutricionistas é uma dessas opções. No entanto, é necessário tomar alguns cuidados ao escolhê-lo. Você sabe o que analisar?

Ler mais

Software de nutrição: como eles podem ajudar os nutricionistas?

Empreender requer sempre muita cautela para que abrir um negócio não se torne um pesadelo. Mas contar com a tecnologia tem sido significativo, principalmente na área de gestão. Um software de nutrição é um exemplo claro disso, facilitando a rotina dos nutricionistas.

A praticidade oferecida é uma vantagem tanto para o profissional como para seus clientes, já que atualmente a maioria das pessoas tem acesso constante aos dispositivos eletrônicos com internet.

Ler mais

Terapia Nutricional Domiciliar: entenda o conceito e os desafios

A terapia nutricional domiciliar constitui um novo campo de atuação para nutricionistas que ainda não possuem clínica de atendimento e que desejam se especializar em serviços prestados na residência do próprio paciente.

Devido ao crescimento da população idosa e da deficiência de leitos disponíveis em hospitais para internações crônicas ― de longa duração ―, a modalidade apresenta grande potencial de empreendimento no Brasil.

A seguir, entenda melhor como funciona essa especialidade e quais os desafios profissionais a serem enfrentados.

Ler mais

4 maneiras de aumentar a produtividade de sua clínica de nutrição

Empreender exige cuidados sobre gestão desde o início do processo de abrir uma clínica. Quando se trata de um consultório de nutrição é preciso estar atento em como aumentar a produtividade sem perda de qualidade. Afinal, os pacientes esperam agilidade aliada ao conforto quando iniciam um tratamento.

Para empreender mudanças é bom que um plano de ação prévio seja criado, visando atender às demandas que venham provocando atrasos e problemas de outros tipos na rotina de trabalho. Entre esses gargalos, alguns se mostram mais comuns e passíveis de serem resolvidos com planejamento.

No post de hoje, trouxemos 4 maneiras para você aumentar a produtividade em sua clínica de nutrição. Acompanhe!

 

Ler mais

Motivação para emagrecer: 6 dicas para ajudar o seu paciente

A epidemia de obesidade que domina a humanidade avança muito rapidamente. O número de pessoas que precisam emagrecer é cada vez maior. Porém, o esforço necessário requer um especial trabalho do profissional de nutrição para conseguir promover, junto aos seus pacientes, uma motivação para emagrecer. Requer um exercício de aproximação para entender seus medos e limitações, a fim de auxiliá-lo na jornada que ele está prestes a embarcar.

Quer saber como fazer isso? Vejas estas 6 dicas para ajudar seu paciente:

Ler mais

Como ajudar um paciente a seguir o plano alimentar com precisão?

Um dos maiores desafios dos nutricionistas é conseguir fazer com que seus pacientes sigam o plano alimentar proposto e alcancem o objetivo de perder peso e manter uma alimentação saudável e equilibrada.

Para que você consiga ajudar os seus pacientes e faça com que o seu trabalho gere resultados bons e precisos, selecionamos algumas dicas importantes no post de hoje. Confira!

Ler mais
Página 1 de 3123