Dietoterapia no câncer de mama

Estamos no mês de combate ao câncer de mama! Aprimore seus conhecimentos sobre a dietoterapia no câncer de mama e como tratar as pacientes com essa doença.

 

Primeiramente vamos falar um pouquinho de como surgiu o Outubro Rosa.

Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.

Ao decorrer dos anos várias cidades decoravam suas ruas e iluminavam seus prédios de rosa cor que simboliza o combate ao câncer de mama.

A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em em torno de tão nobre causa. Isso faz que a cor rosa assuma importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.

 Dietoterapia no câncer de mama

 


Como deve ser a Dietoterapia no Câncer de Mama?

A dietoterapia no câncer de mama irá ser determinada de acordo com vários fatores:

  • Tipo de tratamento: quimioterapia, radioterapia, hormonoterapia, terapia alvo, cirurgia, etc;
  • Tempo de tratamento;
  • Sintomas durante o tratamento;
  • Estado nutricional da paciente;
  • Idade da paciente;
  • Rotina alimentar da paciente;

 

Recomendações gerais para dietoterapia no câncer de mama:

  • Mulheres com sobrepeso e obesidade devem perder peso para melhores resultados no tratamento. A obesidade está relacionada a maior risco de morte pela doença nessas mulheres.
  • Alimentação variada e colorida.
  • Diminuir gorduras saturadas e açucares.
  • Evitar alimentos industrializados por conter gordura e sódio em excesso.
  • Consumo adequado de proteína.
  • Para pacientes com sintomas de quimioterapia e radioterapia observar os sintomas e realizar dietoterapia adequada a cada um deles.

 

A dietoterapia no câncer de mama deve ser individualizada, dessa forma não existe uma recomendação específica para o tratamento.

  • Pacientes que realizam hormonoterapia devem ser acompanhadas de perto para não ganharem peso.
  • Pacientes que estão em tratamento quimioterápico devem ser orientadas quanto ao preparo dos alimentos a fim de evitar contaminações, vale ressaltar a essas pacientes evitarem o consumo de alimentos crus em restaurantes e dar preferência a locais que vendem pratos à la carte em vez de self-service.
  • Paciente com desnutrição devem ser suplementadas conforme aceitação a fim de recuperar o estado nutricional.
  • Na necessidade as dietoterapias enteral e parenteral deve ser utilizadas respeitando a individualidade de cada paciente.
  • O consumo adequado de líquidos deve ser estimulado.
  • A orientação de uma alimentação fracionada, variada, rica em legumes, verduras, frutas, fibras e alimentos saudáveis deve sempre ser feita e ressaltada a cada consulta.
  • Se liberado pelo médico a atividade física deve ser estimulada para ajudar a controlar o peso.

 

Dietoterapia no câncer de mama 5

 

Portanto conheça seu paciente, peça exames, verifique o seu estado nutricional, sintomas e dificuldades com a alimentação. Sua prescrição dietética será baseada principalmente nas informações que a paciente te fornecer. A anamnese alimentar nesse momento é muito importante e deve ser bem detalhada. (Veja aqui como Elaborar uma Anamnese Alimentar)

 

Conheça mais sobre a Campanha Outubro Rosa e sua história aqui

Mais sobre Tratamento do Câncer de Mama:

Instituto Oncoguia

Inca

 

NutriSoft Brazil a tecnologia na palma da sua mão!

 

Acesso exclusivo para nutricionistas

Melhore os resultados dos seus pacientes!

Quero Testar

 

Você também vai gostar

Comentários