Conheça 7 tendências da nutrição

Quando o ano começa, vemos surgir novos temas em cada área de trabalho — e na alimentação não é diferente. É importante, portanto, que os profissionais conheçam as tendências da nutrição, para não ficarem atrasados.

Até porque é bastante comum que os pacientes procurem por seus nutricionistas para saber mais sobre as dietas da moda e boas maneiras de perder peso. Cuidar melhor da aparência e da saúde também está entre os interesses mais observados. 

Continue a leitura para conhecer as 7 novidades mais comentadas da área nutricional e poder orientar melhor seus pacientes!

1. Vegetarianismo e veganismo

Cada vez mais pessoas têm se tornado adeptas das dietas vegetarianas ou veganas. Muitas delas apoiam a causa de proteção dos animais, enquanto outras fazem pelo próprio bem-estar, entre outros motivos.

Mas é preciso ir muito além de saber que o veganismo não inclui nenhum tipo de alimento ou produto de origem animal, enquanto o vegetarianismo não tem tantas restrições e considera opções como ovo, leite ou até cosméticos testados em animais.

Por isso, os profissionais que aprofundam seus conhecimentos no assunto costumam atrair mais pacientes, oferecendo boas soluções para eles — que acabam indicando seus serviços para outros amigos e assim por diante.

Nesse caso, a maior preocupação deve ser manter o acompanhamento com um profissional, para que essa mudança não seja tão radical e prejudicial à saúde. Com substituições bem planejadas, é possível ter uma ótima qualidade de vida, ficando atento apenas para suprir as carências de nutrientes como proteínas e minerais.

2. Dieta do DNA

Esse tipo de dieta foi assunto recorrente na mídia, já que muitas pessoas conseguiram bons resultados. Mas, para dar início a um tratamento como esse, é preciso traçar o perfil genético de cada paciente, identificando suas particularidades antes de criar o cardápio específico para cada um.

O profissional avalia as necessidades nutricionais de acordo com os resultados dos exames e propõe mudanças alimentares que são, ainda, capazes de ajudar os pacientes a evitar doenças para as quais foram diagnosticados com maior propensão.

Uma dificuldade dessa tendência é que os exames não são muito acessíveis e ficam restritos a poucas clínicas no Brasil, o que certamente contribui para eles apresentarem um custo bastante elevado.

3. Alimentação orgânica

Os orgânicos têm ganhado muito espaço e, hoje, já é possível encontrar uma grande diversidade deles nas prateleiras dos supermercados. Existem também outros tipos de negócios, como planos de assinatura, para que as pessoas recebam esses alimentos em suas casas periodicamente.

Isso comprova que a população tem procurado cada vez mais essa alimentação livre de produtos químicos (como agrotóxicos e pesticidas), que são nocivos à saúde. Infelizmente, a demanda e todos os cuidados de produção acabam deixando os produtos mais caros.

Ainda assim, vale a pena buscar alternativas e orientar os pacientes dos benefícios que tais alimentos trazem tanto para o bem-estar das pessoas como para a preservação do meio ambiente.

4. Dieta low carb

Essa é outra tendência que vem estampando as capas das revistas e os sites, já que muitas famosas parecem ter adotado o estilo de vida. A ideia é restringir ao máximo o consumo de carboidratos como pães, massas, batatas e até alguns tipos de frutas.

Normalmente, quem faz a dieta low carb dá preferência para os carboidratos de baixo índice glicêmico (como a batata doce), para continuar tendo uma fonte de energia sem que haja excesso de glicose.

Assim, acredita-se que o organismo é forçado a queimar a gordura estocada, resultando no emagrecimento — até porque a ingestão de calorias é reduzida, o que tende a facilitar esse processo. O mais importante é saber que essa dieta não deve ser indicada para todo tipo de pessoa.

Por isso, o risco é justamente a falta de acompanhamento profissional, pois alguns pacientes entram em situações extremas e começam a ter fortes dores de cabeça, cansaço, oscilações de humor, déficit de atenção, entre outras complicações.

5. Congelados saudáveis

Não dá para negar que boa parte da população — senão a maioria —  busca por praticidade e comodidade. A quantidade de compromissos pessoais e profissionais toma tanto tempo de nossas rotinas que, muitas vezes, nos rendemos aos alimentos prontos.

Inclusive, esse é um dos grandes motivos pelos quais muitos acabam engordando e procurando um nutricionista para tentar reverter a situação. Logo, uma boa opção é investir nos congelados saudáveis que, ao contrário dos mais tradicionais, não são ricos em sódio, conservantes e outros aditivos químicos.

Cabe ao profissional se inteirar do assunto e avaliar boas marcas para recomendar aos pacientes, facilitando o dia a dia com uma alimentação prática (mas saudável) — e longe das junk foods!

6. Bebidas com superalimentos

Essa é uma tendência de 2017, identificada pelo Whole Foods, uma famosa rede de supermercados orgânicos dos EUA. Líderes nesse ramo de negócio no país, eles avaliam e apostam nas tendências nutricionais em suas lojas para oferecer ao público alimentos mais saudáveis.

Em suas pesquisas, detectaram o poder das bebidas engarrafadas que trazem superalimentos como ingredientes. É o caso da maçã, do açafrão e do vinagre de maçã. O último, por exemplo, é capaz de ajudar na digestão e no controle do nível de açúcar no sangue.

Ou seja: é bom ficar de olhos nesses produtos e na vinda deles para o Brasil. A esperança é que as pessoas realmente tomem gosto por essas opções mais saudáveis e abandonem (ou ao menos reduzam) os maus hábitos — como o consumo de refrigerantes, cheios de açúcar e substâncias químicas.

7. Terapia Nutricional Domiciliar

Embora não seja um tipo de tendência nutricional, trata-se de uma nova maneira dos nutricionistas oferecem seus serviços. Ela tem conquistado muitos pacientes, principalmente aqueles que vivem uma rotina corrida e não têm muito tempo de cuidar da alimentação da casa, de seus filhos etc.

Em vista disso, o profissional é contratado para proporcionar um atendimento diferenciado da tradicional consulta clínica. Além da avaliação nutricional, ele vai até a casa do paciente, elabora cardápios semanais, faz listas de compras, ensina a pessoa a cozinhar e a armazenar determinados alimentos, entre outros itens.

Enfim, é um tratamento mais exclusivo que visa ajudar o paciente e toda a família a reorganizar os hábitos alimentares, com treinamentos e orientações especializadas para que possam desfrutar de uma vida mais saudável.

E então, aprendeu um pouco mais sobre as tendências da nutrição? Não deixe de compartilhar este conteúdo nas redes sociais e levar informação para seus colegas e pacientes!

Você também vai gostar

Comentários