Como elaborar uma dieta completa para seus pacientes

Uma dieta completa e saudável deve ser composta por todos os grupos alimentares: proteínas, carboidratos, vegetais tipo A (verduras) e vegetais tipo B (legumes). Quanto mais equilibrada e variada, melhor para o paciente adquirir o hábito de consumir alimentos ricos em vitaminas e nutrientes essenciais para a saúde.

Mas você sabe como elaborar uma dieta completa para seus pacientes? Neste post daremos algumas dicas que vão ajudar no seu trabalho como nutricionista e empreendedora.  

Ficou interessada no assunto? Acompanhe então nosso artigo!

1. Escute seu paciente

O primeiro passo para elaborar uma dieta completa é você ouvir o paciente. Levante dados, como quantas vezes ele come por dia, horários, os alimentos de que gosta e os que não lhe caem bem no cardápio. Se é alérgico ou se tem intolerância alimentar e o que tem costume de comer.

Junte essas informações com a situação socioeconômica e faça o ajuste alimentar, não se esquecendo de respeitar sua cultura.

A melhor maneira de preparar uma dieta completa é você ouvir o que seu paciente tem a dizer. Portanto, escute sempre!

2. Calcule a quantidade de alimentos

É importante considerar o número de refeições diárias que devem ser de 4 a 6. Sendo que durante o dia há três principais que o paciente não deve pular: café da manhã, almoço e jantar.

Além dessas, também deve-se pensar nos intervalos que são os lanches: lanche da manhã, da tarde e da noite.

Faça uma estimativa do valor energético total (VET) considerando a atividade do seu paciente. As refeições principais devem conter até 40% do VET e as intermediárias 15%.

3. Insira todos os grupos alimentares na dieta

O paciente deve comer um pouco de tudo, mas de maneira moderada. A dieta deve ter proteínas, vitaminas importantes que são encontradas nas frutas, verduras e legumes e o carboidrato para ter energia.

Afinal de contas, você não quer que seu cliente sinta fraqueza ao realizar suas tarefas diárias. Por isso, calcule tudo de maneira adequada, seguindo os princípios do guia alimentar brasileiro e a pirâmide dos alimentos. Faça com que seu paciente tenha uma dieta saudável!

4. Utilize ferramentas para criar uma dieta completa

Uma boa dica é você utilizar ferramentas que ajudam a criar uma dieta balanceada e saudável. Uma delas é o Software para Nutricionistas. Ele melhora o trabalho do profissional, ajudando-o a calcular automaticamente medidas como percentual de gordura, gasto energético, massa muscular e outras informações importantes de acordo com os protocolos reconhecidos.

Além disso, o Software oferece um banco de dados com sugestões de cardápio e substituição dos alimentos, ajudando em todas as etapas do atendimento médico, já que, por meio de um aplicativo, auxilia na verificação do consumo de alimentos do paciente.

Dessa maneira, quem procura orientação nutricional tem o apoio no momento da consulta, na elaboração do plano alimentar e no pós-atendimento.

5. Elabore um cardápio semanal equilibrado

Um cardápio equilibrado é aquele que tem todos os grupos alimentares. No caso do almoço e do jantar, separamos algumas dicas:

Carboidratos

Você pode sugerir arroz ou macarrão integral, polenta ou mandioquinha cozida. Só não dá para misturar os carboidratos.

Saladas (Vegetais Tipo A)

Indique a vontade saladas de alface, escarola, rúcula ou agrião. Só peça para que seu paciente tome cuidado com os temperos e molhos. Também é importante não abusar do sal.  

Legumes (Vegetais Tipo B)

Cenoura, rabanete, beterraba ou abóbora madura são excelentes opções de vegetais tipo B para você incluir na dieta. Basta indicar as medidas certas.

Proteína

A proteína deve estar presente no prato principal. Escreva uma porção de carne de boi, filé de peito de frango ou filé de peixe grelhados.

Ferro

Uma grande fonte de ferro é o feijão. Ele combate a anemia e por isso não deve ser deixado de fora da alimentação do seu paciente.

Frutas

As frutas podem ser servidas como sobremesa no lugar dos doces. No caso de maçã, o ideal é consumi-la com a casca, porque é rica em fibras, o que ajuda no funcionamento do intestino.

6. Combine bem os alimentos para uma dieta completa

Duas importantes refeições são o almoço e o jantar. Além do café da manhã e dos lanches durante o dia, as principais refeições devem agradar o paladar e a saúde.

Aqui nós temos algumas sugestões para que você possa combinar os alimentos e fazer com que seu paciente tenha uma dieta nutritiva e saborosa. Confira:

Almoço

Primeira opção

Arroz integral com brócolis, feijão, carne de boi grelhada e acebolada e salada de alface com tomate.

Segunda opção

Macarrão integral, filé de peito de frango grelhado, salada de rúcula e tomate-cereja.

Terceira opção

Arroz integral, feijão, couve refogada, palmito e omelete com cebolinha verde.

Quarta opção

Bacalhau assado com batata-inglesa, salada de alface-americana e sementes de chia.

Jantar

Primeira opção

Salada de folhas verdes, tomate, beterraba cozida, cenoura ralada, arroz integral e atum.

Segunda opção

Arroz 7 grãos, carne moída com vagem, salada de agrião com tomate e cenoura refogada.

Terceira opção

Purê de batata-doce, almôndegas assada, salada de rúcula com tomate-cereja e ervilha refogada.

Quarta opção

Purê de mandioquinha, brócolis no vapor, frango grelhado, cenoura e beterraba raladas e brócolis no vapor.

7. Deixe os alimentos gordurosos fora da dieta

A dieta saudável não pode ter alimentos gordurosos como frituras e embutidos (salame, mortadela, salsicha e linguiça). Evite creme de leite e preparações que levam manteiga e óleo.

Também é importante evitar carnes como fraldinha, acém, picanha, cupim e costela, pele de frango, queijos amarelos, todos considerados alimentos com alto índice de gordura.

Não faça sugestões de carboidratos com alto índice glicêmico, tais quais alimentos preparados com farinha refinada como bolos e tortas.

Viu como é fácil elaborar uma dieta completa para seus pacientes? O primeiro passo é ouvi-los, saber seus gostos e restrições. Procure elaborar cardápios coloridos que chamem a atenção do olhar e agradam o paladar. Com essas dicas simples, você será uma referência no seu trabalho como nutricionista e uma grande empreendedora.

Gostou das nossas dicas para montar uma dieta completa? Aproveite e dê uma olhada no nosso post sobre as 6 obras que você nutricionista precisa ler!

 

Você também vai gostar

Comentários