Como abrir uma clínica de nutrição em 9 passos

É bastante comum os nutricionistas que já estão formados há algum tempo — e também aqueles que estão prestes a se formar — cogitarem formas de desenvolver seu próprio negócio, como abrir uma clínica de nutrição, por exemplo.

Nesse momento, muitas dúvidas podem surgir a respeito do caminho a seguir para alcançar esse objetivo. Dentre elas, a questão de fazer ou não uma especialização na mesma área de atuação ou migrar para outra, e, ainda, o que considerar em termos de gestão e finanças.

Então, para te ajudar nessa tarefa, o post de hoje trará 9 passos básicos para você abrir a sua clínica. Continue lendo e descubra como abrir uma clínica de nutrição!

1. Obtenha as autorizações necessárias

Um dos primeiros aspectos ao observar para abrir uma clínica de nutrição são as questões burocráticas da abertura da clínica, que garantem sua legalização.

Sem providenciar toda a documentação e autorizações de funcionamento, não é possível passar às demais etapas. Por isso, é recomendado que o profissional recorra à ajuda de ao menos um contador e um advogado.

Junto à Vigilância Sanitária do Município

Na Vigilância Sanitária do Município, o profissional precisa solicitar o cadastramento para registro do consultório. Nessa etapa, os documentos exigidos são dois:

  • a cópia do registro de autônomo;
  • a cópia do contrato social da empresa.

Junto ao Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde — CNES

No Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, o profissional deverá se dirigir ao órgão munido de uma série de documentos. Essa etapa é bastante importante devido à diversidade de documentos que precisam ser reunidos.

Aliás, merecem destaque os documentos que necessitam de requerimento em outros órgãos, como a prova de inscrição do profissional junto ao Conselho Regional como Responsável Técnico (RT), a cópia do registro da clínica no respectivo Conselho Regional (se for constituída pessoa jurídica) e a cópia do auto de vistoria do Corpo de Bombeiros (laudo que visa à segurança do prédio).

2. Planeje o orçamento

Um bom planejamento financeiro é indispensável para abrir uma clínica de nutrição, pois, caso existam falhas nessa fase, o futuro do empreendimento pode estar em risco. Cálculos errados ou mal projetados, por exemplo podem gerar a suspensão de todo o projeto de abertura da clínica e comprometer toda a logística que foi estruturada.

Quanto ao planejamento financeiro, é aconselhável incluir uma estimativa dos custos mensais de manutenção da clínica quando ela já estiver em funcionamento. Além disso, um fundo de reserva estratégico para os meses iniciais também deve ser programado cuidadosamente.

Considerar, ainda, contratar um administrador para se encarregar das questões mais burocráticas do dia a dia da clínica de nutrição pode ser uma alternativa proveitosa.

3. Defina a especialidade

De fato, a definição da especialidade deve nortear todos os passos a se considerar sobre como abrir uma clínica de nutrição. E essa fase é muito importante, pois o profissional deverá optar por uma área de atuação em que ele tenha mais capacidade técnica para desenvolver seu trabalho com segurança e precisão.

4. Decida o local do estabelecimento

O local do estabelecimento também deve ser pensado de forma estratégica, de modo que sua a localização seja fácil e, também, bem posicionada em relação ao público-alvo que se pretende atingir.

Nesse quesito, alguns fatores devem ser considerados, como o espaço disponível — inclusive quanto ao espaço para uma possível expansão, no futuro — e, é claro, a qualidade das acomodações, tanto no que diz respeito ao conforto acústico quanto térmico.

Quanto a isso, uma possibilidade interessante é procurar parcerias com colegas de profissão que já estejam estabelecidos em um local com infraestrutura adequada para o desempenho das funções, reduzindo custos e aumentando a satisfação dos clientes.

5. Compre os equipamentos

Naturalmente, os equipamentos podem variar de acordo com a especialidade eleita. Contudo, há alguns itens básicos, que todo nutricionista deve ter. São eles:

  • balança;
  • adipômetro;
  • fita métrica;
  • estadiômetro.

Além disso, uma ferramenta que deve ser considerada também é um software de nutrição para organizar e sistematizar os atendimentos.

6. Escolha o nome da clínica

Vale lembrar que o nome da clínica é a primeira informação que chegará ao alcance de seus futuros pacientes. Sendo assim, é importante gastar tempo pensando num nome — preferencialmente curto, para que seja de fácil assimilação, mas que também informe automaticamente o objetivo do negócio.

Certamente, saem na frente na concorrência os nomes mais criativos, mas que ainda identificam o ramo de atuação da clínica.

7. Faça a identidade visual da clínica

A identidade visual começa no logotipo, com o nome da clínica, e passa pelos materiais impressos, como receituários, cartões, planos alimentares, etc. E as informações existentes em ambientes virtuais, como sites, páginas em redes sociais, blogs e outros também devem seguir a mesma padronização.

Além disso, todas as informações devem ser claras e precisas, bem escritas, visando manter a uniformidade do material utilizado pela clínica. Pode parecer uma orientação banal, mas esse recurso facilita a fixação e reconhecimento da clínica por parte dos pacientes.

8. Divulgue a clínica

Assim como a preocupação com a identidade visual faz parte do projeto de divulgação da clínica, outras medidas devem ser tomadas com o objetivo de divulgar a clínica.

Aliás, uma vez que a especialidade foi definida, fica mais fácil reconhecer o público-alvo da clínica de nutrição, e, por consequência, criar mecanismos para atingir esse nicho específico.

Como diz a velha máxima, “a publicidade é a alma do negócio” — afinal, as pessoas precisam mesmo ter conhecimento da clínica para que o número de clientes possa aumentar. Atualmente, páginas no Facebook e Instagram têm contribuído positivamente para a divulgação das clínicas de nutrição, além de serem um recurso gratuito.

 

9. Fidelize seu público

Por fim, um erro bastante comum é a preocupação exclusiva com a prospecção de novos clientes, sem a devida manutenção dos clientes que já existem. De fato, fidelizar o público pode ser a melhor publicidade para a clínica, pois o bom trabalho desempenhado ganha fama com o boca a boca, aumentando o fluxo de novos pacientes.

E uma forma simples de garantir fidelização é prestar um serviço de excelência, que começa na sala de espera da clínica de nutrição, passa pelo atendimento no consultório, e continua muito tempo depois da consulta.

Aliás, uma maneira de um atendimento continuar mesmo após a consulta se dá por meio da manutenção de canais de comunicação abertos com o paciente — ao menos via e-mail —, mas também retornando ligações para esclarecer eventuais dúvidas. Ainda, por meio, por exemplo, de ligações ou mensagens para relembrar novas consultas marcadas.

E aí, gostou do post? Agora que você já sabe os nove passos básicos sobre como abrir uma clínica de nutrição, que tal se aprofundar melhor nesse tema tão complexo?

 

Acesso exclusivo para nutricionistas

Melhore os resultados dos seus pacientes!

Quero Testar

 

Você também vai gostar

Comentários